Vendas de fim de ano reacendem esperança do comércio

Da Redação | 03/01/2022

2021 terminou de forma positiva para os varejistas da capital. Isso porque as vendas do natal, em comparação ao ano passado, apresentaram númerosimportantes. De acordo com levantamento da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), realizado nos dias 27 e 28 de dezembro, 45,2% dos comerciantes afirmam que as vendas foram melhores que as de 2020. Eles acreditam que a flexibilidade das restrições e o avanço da vacinação foram os principais motivadores do crescimento.

Para os lojistas, outros fatores que influenciaram no resultado das vendas foram o atendimento qualificado, a divulgação dos produtos, promoções, pagamento do auxílio emergencial e confiança dos consumidores.

“O Natal reacendeu a esperança dos comerciantes. Felizmente estamos vivendo uma retomada de nossa economia e a data veio confirmar esse reaquecimento, sobretudo, para as lojas físicas. Podemos dizer que, apesar de todas as dificuldades, o comércio da capital encerra o ano de forma positiva e com boas perspectivas para 2022”, destaca o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.

Quando questionados sobre as vendas de Natal deste ano, 43,6% dizem que atenderam ou superaram as expectativas. Para 35,5% atendeu parcialmente e 21% afirmam que não atendeu.

Os itens de vestuário lideraram as vendas com 33,9%. Os outros destaques foram:

  • Calçados: 16,1%
  • Cosméticos: 14,2%
  • Utensílios domésticos: 9,7%
  • Itens de decoração: 9,7%

Pagamento e vendas

A maior parte dos consumidores optou pelo pagamento à vista (74,2%), segundo os comerciantes. Para os que adotaram o pagamento parcelado, dividiram, em média, em até quatro vezes.

Confira como foi o pagamento por modalidade:

  • À vista no cartão de crédito: 38,7%
  • Parcelado no cartão de crédito: 25,8%
  • Transferência eletrônica (PIX, DOC, TED): 19,4%
  • Cartão de débito: 14,5%
  • Dinheiro: 1,6%

Comércio de rua fortalecido

As lojas físicas foram a escolha da maioria dos consumidores. De acordo com os comerciantes entrevistados, elas foram o principal canal de vendas neste Natal (93,5%). Redes sociais e e-commerce empataram com 3,2%.

Foto: Pixabay

Confira outras notícias (AQUI)