Setor de serviços avança em Minas Gerais

Da Redação | 14/07/2021

Os últimos meses têm sido desafiadores para a economia nacional. No entanto, a medida em que o tempo passa e as medidas sanitárias e de imunização contra a covid-19 vão se desenvolvendo, diversos setores econômicos também vão demonstrando avanços.

Em Minas Gerais, por exemplo, na passagem de abril para maio de 2021, na série com ajuste sazonal, o setor de serviços apresentou, em maio, um avanço de 2,1% frente a abril de 2021, na série com ajuste sazonal.

Quando observado em âmbito nacional, o Brasil também mostrou um avanço de 1,2%. Regionalmente, 23 das 27 unidades da federação assinalaram avanço no volume de serviços em maio de 2021, na comparação com o mês imediatamente anterior, acompanhando a variação observada no Brasil

Entre os locais que apontaram taxas positivas nesse mês, o impacto mais importante veio de São Paulo (2,5%), seguido por Bahia (8,6%), Minas Gerais (2,1%) e Distrito Federal (3,7%). Na comparação

Na comparação com igual mês do ano anterior, o avanço do volume de serviços no Brasil (23,0%) foi acompanhado por 26 das 27 unidades da federação. A principal contribuição positiva ficou com São Paulo (24,6%), seguido por Rio de Janeiro (18,3%), Minas Gerais (26,9%), Rio Grande do Sul (21,2%), Santa Catarina (23,9%), Bahia (28,9%), Distrito Federal (27,0%) e Paraná (13,4%). Somente Rondônia (-0,5%) registrou resultado negativo.

No acumulado de janeiro a maio de 2021, frente a igual período do ano anterior, o crescimento do volume de serviços no Brasil (7,3%) se deu de forma disseminada entre os locais investigados, já que 26 das 27 unidades da federação também mostraram expansão na receita real de serviços. O principal impacto positivo em termos regionais ocorreu em São Paulo (7,9%), seguido por Minas Gerais (12,6%), Rio de Janeiro (4,6%) e Santa Catarina (15,6%). Para esse tipo de comparação, apenas Sergipe (-1,4%) apresentou recuo.

A variação acumulada nos últimos 12 meses, frente a igual período do ano anterior, apresentou recuo de 2,2% do volume de serviços no Brasil, sendo que 16 das 27 unidades da federação também mostraram retração na receita real de serviços. O principal impacto negativo em termos regionais ocorreu em Sergipe (-11,2%), Rio Grande do Norte (-10,4%), Ceará (-8,4%) e Piauí (-8,2%). Minas Gerais apresentou variação positiva nos últimos 12 meses, de 1,8%.

Os resultados por atividades em Minas Gerais, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, apontam variações positivas do volume de serviços em todas as cinco atividades investigadas: outros serviços (56,9%), serviços prestados às famílias (48,0%) e transportes, serviços auxiliares ao transporte e correio (46,4%) apresentaram as maiores variações na comparação com o mesmo mês do ano anterior, conforme o Quadro 1.

Em síntese, ao avançar 1,2% em maio de 2021, o setor de serviços nacional acumula expansão de 2,5% nos últimos 2 meses, recuperando, assim, parte da perda verificada em março último (-3,4%). Ainda na série ajustada sazonalmente, o índice de média móvel trimestral mostrou variação negativa de 0,3% no trimestre encerrado em maio, interrompendo, assim, uma sequência de dez taxas positivas, período em que os serviços construíram um lento processo de recuperação. Com isso, o volume de serviços no Brasil volta a ultrapassar o patamar pré-pandemia, situando-se, em maio de 2021, 0,2% acima do nível de fevereiro de 2020, mês que antecedeu a implementação das primeiras medidas de isolamento social.

Fonte: IBGE-MG

Confira outras notícias (AQUI)

Mais Notícias