Rejuvenescimento íntimo a laser reduz dor e infecções nas mulheres

Médica dermatologista explica que procedimento está cada vez mais usual e não se trata de cirurgia estética.

Da Redação | 06/02/2021

Médica Marília Machado

Com a idade, diminuem as fibras de colágeno e elastina presentes em todo o corpo. Pele do rosto, das mãos e, também, da região genital feminina envelhece e pode apresentar diversos problemas e desconfortos.

A boa notícia é que já existem vários tipos de tratamentos íntimos, indicados para a necessidade de cada paciente. De acordo com a médica dermatologista Marília Machado as técnicas mais modernas atualmente compreendem o tratamento com Radiofrequência e o Laser de Erbium fracionado.

“O olhar para a região íntima feminina aumentou nos últimos tempos por diversos fatores sendo, alguns deles, maior liberdade sexual, técnicas de depilação total, surgimento de novas tecnologias, maior expectativa de vida, busca por melhora na satisfação sexual”, explica.

Qualidade de vida

Segundo ela, esses novos fatores aumentaram as queixas da região íntima como, por exemplo, escurecimento, flacidez e rugas na vulva, prurido, odor, ressecamento, incontinência, dentre outras. “Nosso objetivo é fornecer, com segurança, tratamentos comprovados cientificamente que melhorem a qualidade de vida e a autoestima das mulheres”, destaca. 

A médica explica que o procedimento estimula a produção de colágeno, aumenta a espessura da mucosa da vagina, melhora a lubrificação e pode ser indicado também com o objetivo de clareamento da região íntima. Essas melhorias podem durar por muito tempo, com sessões de manutenção anuais.

Autoestima

De acordo com a médica, com o rejuvenescimento vaginal a laser, é possível devolver à mulher sua autoestima, bem estar e liberdade para suas atividades diárias, melhorando a vida sexual em qualquer fase da vida.

“Com o passar dos anos, as mulheres podem sofrer com uma queda no estrogênio, que ocasiona atrofia e secura vaginal, prejudicando as relações sexuais. O procedimento estimula a produção de colágeno na mucosa vaginal e melhora a lubrificação da região”, explica.

De acordo com Marília Machado outra indicação do laser de erbium fracionado é a incontinência urinária de esforço mais comum em mulheres e está relacionada principalmente as gestações prévias e a queda de estrogênio.

Esse assunto é constrangedor para as mulheres, mas é necessário saber que tem tratamento. O laser de erbium promove uma melhora do tônus do canal vaginal e de toda a região que envolve a uretra melhorando o controle urinário.

Apesar do tratamento ser indicado principalmente para mulheres na fase da menopausa ou perimenopausa, ele também apresenta resultados satisfatórios para as mulheres que sofrem com pouca lubrificação vaginal e com infecções de repetição (como candidíase de repetição).

Serviço:

Foto: NATI/Divulgação

Leia mais matérias sobre saúde aqui.

Mais Notícias