Programação artística da 24a Mostra Tiradentes

Da Redação | 22/01/2021

O cinema em conexão com a música, as imagens em movimento, os processos de criação e a cidade de Tiradentes como cenário que inspira, que transcende o tempo, que abre caminhos, que une tradição e contemporaneidade. A diversidade e os sotaques do Brasil imprimem a identidade da programação artística da 24a Mostra de Cinema de Tiradentes, que acontece de 22 a 30 de janeiro, no formato online pelo site oficial, mostrando que não existem fronteiras para a arte num mundo em movimento.

A agenda de atrações conta com performance audiovisual inaugural, cinco shows e uma exposição online que celebra as mais de duas décadas da Mostra. O público poderá acompanhar as atividades no site oficial do evento e os shows serão transmitidos também pelo canal do Sesc em Minas no YouTube.

Audiovisual

Concebida para abrir a temporada audiovisual da 24a Mostra de Cinema de Tiradentes, para apresentar ao público a programação e o conceito do evento com arte, música, imagens e movimento tendo como inspiração a temática Vertentes da Criação e foco na cineasta homenageada desta edição, Paula Gaitán.

A produção é da Universo Produção, direção e roteiro de Chico de Paula, trilha sonora do Barulhista e participações especiais de artistas e cantores mineiros. Em destaque, Maurício Tizumba e Júlia Tizumba, que juntos atuam e interpretam canções que remetem ao Brasil de hoje, aos caminhos de criação em que pai e filha representam gerações de tempos históricos da arte brasileira. Gravada na cidade de Tiradentes, a performance abre a programação do evento, no dia 22 de janeiro, sexta-feira, às 20 horas e poderá ser assistida no site da mostra.

Exposição

A exposição virtual “Mostra Tiradentes no Tempo” apresenta em 200 imagens, a trajetória do evento em 23 edições, com o objetivo de contar a história desse projeto cheio de riquezas visuais, representatividade e de uma iniciativa tão complexa em instalações e estruturas que envolvem a cidade histórica de Tiradentes e a torna anualmente o cenário do maior evento do cinema brasileiro.

As imagens selecionadas revelam toda a essência e as nuances da Mostra Tiradentes através das lentes dos fotógrafos Leo Lara, Jackson Romanelli, Beto Stanio, Leo Fontes, Biel Machado, Nereu Jr., Beni Jr., Daniel Iglesias, Victor Shwaner, Pedro Silveira, André Fossati e Alexandre C. Mota e integram o acervo da Universo Produção.

Shows

Realizados em parceria com o Sesc em Minas, os shows apresentam a diversidade da cena contemporânea musical brasileira. Na noite de abertura, dia 22 de janeiro, às 22 horasArrigo Barnabé abre a programação musical da 24a Mostra Tiradentes. O músico e ator marcou o início da Vanguarda Paulistana como a maior novidade na música brasileira desde a Tropicália. Com trabalho singular na música brasileira, sempre na fronteira entre o erudito contemporâneo e o popular, Arrigo tem composições de características que vão do dodecafonismo à atonalidade. No repertório do show, algumas canções do LP “Clara Crocodilo”, que completou 41 anos em 2020 e músicas que marcaram a carreira do artista, como Cidade Oculta, parceria com Eduardo Gudin e Roberto Riberti; Londrina, de Tetê Espíndola; Sinhazinha em Chamas, de sua autoria; Suspeito, em parceria com Hermelino Neder e Ano Bom, em parceria com Luiz Tatit.

Na noite de sábado23 de janeiro, às 22 horas, o evento recebe o compositor, cantor, jornalista e escritor paraibano Chico César. O artista desafia a saudade e aponta a distância como um estímulo que pode ser vibrante e cheio de calor humano, nestes tempos de coronavírus. Autor de sucessos consagrados pelo público, como Mama África e À Primeira Vista, o paraibano tem nove álbuns lançados: “Aos Vivos” (1995), “Cuscuz Clã” (1996), “Beleza Mano” (1997) e “Mama Mundi” (2000), “Respeitem os meus cabelos brancos” (2002), “De uns tempos pra cá” (2005), “Francisco, Forró Y Frevo” (2008), “Estado de Poesia” (2015) e “O Amor é um Ato Revolucionário” (2019). Chico César acaba de lançar a canção Nada. O single intimista foi composto em casa, durante a pandemia e está disponível em todas as plataformas de streaming.

No domingo, dia 24, a partir das 21 horas, quem sobe ao palco é Adriana Araújo, uma das principais vozes do Samba Mineiro. Cria da Pedreira Prado Lopes, a cantora preparou um show especial para a 24a Mostra de Cinema de Tiradentes, em que traz canções que representam a sua própria história. A apresentação contará com algumas músicas que estarão no CD “Minha Verdade”, seu primeiro álbum, que será lançado ainda no primeiro semestre de 2021. Para abrir o show com o clima lá no alto, Adriana traz a música Vibração, composição de sua autoria em parceria com o diretor musical Alexis Martins. A partir daí, serão diversas canções autorais, em que se destaca a negritude, ancestralidade e afluentes. O público que acompanhar a apresentação terá a oportunidade de ver o encontro de Adriana Araújo com um dos maiores nomes da atualidade, o multiartista mineiro Sérgio Pererê (foto), interpretando sambas épicos da nossa cena musical, além do seu impecável repertório autoral.

Quem vai agitar a noite de sexta-feira29 de janeiroa partir das 22 horas, é Fernanda Abreu, que conduzo show em sua casa no home estúdio carinhosamente batizado de ‘Cativeiro’. E é direto do seu Cativeiro que Fernanda invade a casa de milhares de pessoas, derrubando os muros do isolamento por meio da internet, compartilhando por meio do seu emblemático repertório, momentos de alegria, música, dança – tão necessários nestes tempos de tristes e preocupantes notícias diárias. O clima amistoso e intimista, onde a cantora aproveita para dividir histórias de seus 30 anos de carreira solo comemorados em 2020, pede um repertório especial, com clássicos como Kátia FláviaVeneno da Lata e Rio 40 Graus. Dos seus mais recentes CD e DVD “Amor Geral (A) Live” lançados em dezembro de 2020, as canções Outro Sim e Tambor. O single recém-lançado Do Ben, uma homenagem a Jorge Ben, também faz parte do roteiro que ainda inclui sucessos como Um Amor Um LugarA Noite e Você Pra Mim.

E no encerramento da programação da 24a Mostra, o público poderá conferir no sábado, dia 30, às 22 horas, o show do cantor Johnny Hooker, um dos grandes nomes da nova safra da música popular brasileira. O artista pernambucano ganhou notoriedade nacional após seu primeiro disco autoral “Eu Vou Fazer Uma Macumba Pra Te Amarrar Maldito”. Johnny coleciona alguns prêmios como o melhor cantor do Prêmio da Música Brasileira e dois do MTV Miaw, sendo um deles de melhor clipe. Recentemente, ganhou discos de platina por seus dois singles Amor Marginal e Flutua, este último sucesso do segundo disco “Coração”. Em 2021, está previsto lançamento do DVD ao vivo do show “Macumba”, gravado em 2016 em Recife e também o seu mais novo trabalho autoral, ainda sem previsão de data.

“A contemporaneidade nos brinda com o inimaginável. Cabe a nós, agentes culturais e atores sociais, absorver os efeitos do que vivemos e transformar os impactos em novos universos simbólicos e tangíveis para trazer sentido e nos mostrar caminhos possíveis a serem construídos coletivamente. É com esse propósito que o Sesc em Minas, instituição integrada ao Sistema Fecomércio MG, promove ações que democratizam, diversificam e fomentam a cadeia produtiva da cultura, valorizando a arte como vetor de transformação social”, destaca Janaína Cunha, gerente de Cultura do Sesc em Minas.

Toda programação é gratuita e pode ser assistida de onde você estiver pelo site do evento www.mostratiradentes.com.br e os shows também serão transmitidos pelo canal do YouTube do Sesc em Minas.

Mesa Brasil SESC

A 24a Mostra de Cinema de Tiradentes estabelece uma parceria com o Sesc em Minas, por intermédio do Programa Mesa Brasil Sesc, que é uma rede nacional de bancos de alimentos contra a fome e o desperdício, em que o público poderá realizar as doações durante os shows que serão destinadas ao Programa Mesa Brasil Sesc para beneficiar às instituições de Tiradentes que são cadastradas no programa – a APAE Tiradentes e o LAR DE IDOSOS – Abrigo Tiradentes.

Foto: Netum Lima

Mais Notícias