Programa monitora diversas espécies de mamíferos em áreas de produção de celulose

Entre os animais estão sete tipo de felinos, como a onça-parda, também conhecida no Brasil como suçuarana

Da Redação | 12/01/2021

Programa Cenibra

Diversas espécies de mamíferos estão sendo cadastradas pelo programa de monitoramento da fauna realizado pela empresa Cenibra, indústria de produção de celulose, dentro de suas plantações espalhadas pelo País.

Realizada de desde 2003, a iniciativa já possibilitou até o momento o registro de 69 espécies, entre elas sete de felinos. Tais como o gato-do-mato (Leopardus tigrinus), gato do-mato-pequeno (Leopardus guttulus), jaguatirica (Leopardus pardalis), gato-maracajá (Leopardus wiedii), gato-mourisco (Puma yagouaroundi), onça-parda (Puma concolor) e onça-pintada (Panthera onca).

Elas estão presentes em listas oficiais de animais ameaçados de extinção e sua presença nas áreas da empresa é favorecida pelo manejo florestal importante praticado.

Segundo maior

A onça-parda, também conhecida no Brasil como suçuarana, é a espécie de felino com maior frequência de registros nas áreas da Cenibra. Considerada o segundo maior felino nativo das Américas – atrás apenas da onça-pintada -, essa espécie habita praticamente todo o território nacional e está ameaçada de extinção.

Trata-se de um animal solitário, com o pico de sua atividade no crepúsculo ou à noite, descansando no resto do dia. Vive em média, entre 7,5 e 9 anos de idade, e sua área de vida pode variar de 50 a 1000 km², com machos sendo territoriais e possuindo grandes áreas, se sobrepondo às várias fêmeas.

Estão cada vez mais frequentes os relatos de aproximação deste animal com o homem. É comum em noticiários ver matérias sobre aparecimento de onças- pardas em áreas urbanas, sítios e fazendas. Embora sejam animais que despertam medo nas pessoas, no Brasil não se tem registro de ataque de onça-parda a humanos.

“As onças são animais considerados indicadores de qualidade ambiental, pelo fato de estarem no topo da cadeia alimentar e necessitarem de grandes áreas preservadas para sobreviver”, explica o biólogo o Edson Valgas, especialista do Departamento de Meio Ambiente e Qualidade da indústria.

Sobrevivência

Segundo ele, a ocorrência desses felinos em uma região indica que ela ainda oferece boas condições que permitam a sua sobrevivência.

“A caça ilegal de animais silvestres, o desmatamento e os incêndios florestais são as principais causas da diminuição da população de onças no Brasil. Reduzir essas ameaças é fundamental para garantir a sobrevivência dos felinos e a integridade dos ecossistemas”, afirma.

Foto: Roney Assis Souza

Leia mais sobre meio ambiente aqui.

Mais Notícias