Otimismo para a Black Friday

Micro e pequenos empresários contemplados com ajuda financeira do Estímulo 2020 têm boas expectativas para a data

Da Redação | 19/11/2020

Retomada econômica. Micro e pequenos empresários que mantiveram suas firmas vivas com a ajuda do Estímulo 2020, primeiro fundo 100% privado do Brasil criado para apoiar os pequenos negócios afetados pela crise da covid-19, têm agora a expectativa positiva de que as vendas de final de ano, por ocasião da Black Friday, em 27 de novembro, e do Natal consolidem o processo de retomada. Roberto Campos, dono da Uatt, loja de presentes de Belo Horizonte, participará da promoção atrelada ao Dia de Ação de Graças dos Estados Unidos oferecendo descontos de até 70% nos produtos que comercializa.

“Acreditamos que haja uma demanda reprimida devido à pandemia. Como as pessoas não estão viajando, podem gastar um pouco mais de dinheiro em compras de produtos para o final do ano”, salienta o empresário. Ele utilizou o apoio que obteve com o Estímulo 2020 para sanear a Uatt. Com o alívio trazido pelo empréstimo, Campos pode investir na abertura de um novo empreendimento, a Cria Criatura, dedicada à fabricação de produtos personalizados, como luvas, moletons, canecas e lancheiras. Com isso, reduzirá a importação de mercadorias, que está se tornando muito onerosa devido à elevada cotação do dólar, e ficará menos dependente dos fornecedores.

Para a empresária paulista Andréa de Barros, a obtenção do recurso junto ao Estímulo 2020 foi essencial para a manutenção de seu negócio, a editora Barros, Fischer & Associados, especializada em guias de estudos. “Independentemente da pandemia, o período entre novembro e dezembro é sempre ruim devido à aproximação das férias, quando muitas pessoas deixam de comprar nossos guias”, resume a empreendedora.

No entanto, com a crise provocada pela covid-19 no setor educacional, o cenário tornou-se ainda mais preocupante. “Com a pandemia, tivemos ainda o agravante de que as aulas foram suspensas e não retornaram”, diz, para acrescentar: “o apoio financeiro nos ajudará sobreviver neste final do ano”.

Black Friday e Natal

Ariana Maria Santos Cardoso, que tem franquia de malas e roupas de cama, mesa e banho em Uberlândia, Minas Gerais, diz esperar grandes vendas para a Black Friday. Quanto ao Natal, entende ser necessário analisar como se comportará a demanda de novembro, para ser possível uma projeção mais efetiva. “De todo modo, percebo que as vendas estão aumentando a cada dia, principalmente após seis meses com as lojas fechadas”.

A empreendedora, que trabalha com franquias desde 2010, investiu na constituição de estoque de roupas de cama, mesa e banho, visando ao atendimento da demanda da Black Friday. “Acho que o povo está esperando muito essa data, devido à demanda reprimida, porque as pessoas acabaram não gastando enquanto ficaram em casa”. Quanto às malas, ela afirma que aguardará a retomada do turismo e das viagens para aumentar o estoque dos produtos.

Recursos disponíveis

Empreendedores como Campos, Andréa e Ariana, que obtiveram apoio financeiro a juros subsidiados do Estímulo 2020, têm quitado religiosamente os empréstimos. A inadimplência é quase nula, possibilitando a concessão de novos financiamentos. Assim, o fundo conta com cerca de R$ 25 milhões disponíveis para conceder a empresas que precisem de capital de giro ou equilibrar as contas para atender à demanda de fim de ano.

O projeto, que começou em São Paulo, no mês de maio, foi inspirado nos relief funds dos Estados Unidos e está presente também no Rio de Janeiro, Minas Gerais e Ceará. Além do pilar financeiro, o Estímulo 2020 oferece suporte educacional, por meio de ferramentas para capacitação profissional em temas como Gestão, Educação Financeira, Empreendedorismo, Inovação e Marketing Digital.

Segundo Fabio Lesbaupin, diretor de Operações e Tecnologia do Estímulo 2020, “o apoio é destinado aos micro e pequenos empreendedores por serem a base da economia, gerarem grande número de empregos e constituírem segmento no qual acontecem muitas inovações”. Ele pondera que, em tempos de crise, é natural que as instituições financeiras fiquem inseguras e tornem seus processos mais rígidos. “É aí que entra nossa iniciativa, que oferece apoio financeiro sem burocracia, com juros subsidiados e todo o processo feito on-line”, resume.

Sem burocracia

Por meio da iniciativa, é possível contar com o equivalente a até um mês de faturamento bruto da empresa antes do início da pandemia. O pagamento pode ser feito em 24 meses, sendo três de carência. Os juros, subsidiados, são de 0,53% ao mês ou 6,5% ao ano.

Para isso, basta que o empreendedor preencha um formulário com apenas seis campos. O sistema integrado faz uma pré-análise das informações e, em 45 segundos, o solicitante recebe o retorno. Se aprovado, o crédito é depositado em 48 horas após o envio dos documentos.

Entre maio e outubro, a iniciativa concedeu 827 apoios, ultrapassando R$ 30 milhões. Somente em São Paulo, 577 empreendedores foram contemplados, totalizando R$ 18,4 milhões. O resultado de todo esse esforço, que reúne executivos, artistas, empreendedores sociais e empresas, é a sobrevivência dos negócios e a manutenção de mais de sete mil empregos até agora.

Nesse período, Estímulo 2020 possibilitou que 250 donos de micro e pequenas empresas participassem de 15 mentorias ministradas por empresários e especialistas em gestão, como Abilio Diniz, Wilson Poit, Ana Fontes, Roberto Sallouti, Ricardo Botelho e Eugênio Mattar.

Mais Notícias