Os 300 anos de Minas Gerais terão comemorações na Praça da Liberdade e na Assembleia Legislativa

Por causa da pandemia, eventos terão medidas preventivas e transmissão de solenidade on-line.

Da Redação | 02/12/2020

Minas 300
selo minas 300 anos

Os 300 anos da criação do Estado de Minas Gerais serão lembrados nesta quarta-feira, 2, pelas autoridades de todos os poderes. O governador Romeu Zema, por exemplo, participa às 18h30 da inauguração do Circuito Luzes da Liberdade. Como medida preventiva à disseminação da pandemia, será obrigatório o uso de máscaras e o distanciamento entre os presentes durante o evento.

Já a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realiza Reunião Especial no Plenário para comemorar a data e, ainda, lançar o livro virtual “Minas Gerais. Visão de Conjunto e perspectivas”. A atividade acontece às 17 horas.

Livro

A reunião, com formato virtual, será transmitida ao vivo pela TV Assembleia e pelo canal institucional no Youtube (link). Num ano marcado por adversidades trazidas pela pandemia de Covid-19, o evento destaca a força da história de Minas e da união dos mineiros para enfrentar mais esse desafio. Outro objetivo é gerar a reflexão sobre o que esperar dos próximos anos.

Caberá ao deputado Cristiano da Silveira (PT), 2º vice-presidente da casa, conduzir a reunião, representando o presidente, deputado Agostinho Patrus. Instituições parceiras da Assembleia na realização das atividades comemorativas dos 300 anos também estarão representadas, de forma remota.

A solenidade será aberta com a exibição de vídeo conceitual dos 300 anos, com imagens gravadas no Santuário Nossa Senhora da Piedade, em Caeté (Central). A trilha sonora do vídeo é “Encontro das águas” de Tavinho Moura, interpretada por Mariana Nunes (vocais), Rogério Delayon (violão) e Sérgio Rabello (violoncelo).

Projeto

Na Praça da Liberdade, local do evento com a presença do governador, haverá o lançamento do projeto 300 +1, com eventos comemorativos ao longo de 2021, uma vez que, em 2020, o calendário de atividades foi interrompido pela pandemia de covid-19.

As luzes de Natal deste ano ganharam uma nova estruturação, pensada para os 300 anos de Minas e no projeto da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) de criar o Circuito Turístico Liberdade. A iniciativa permite a expansão do antigo circuito, até então restrito à Praça da Liberdade, na capital mineira, para equipamentos culturais e turísticos localizados dentro dos limites da Avenida do Contorno.

Será inaugurado pelo governador Romeu Zema e pelo secretário de Cultura e Turismo Leônidas Oliveira um conjunto de projeções e recursos de iluminação em prédios da capital mineira, extrapolando os contornos da Praça da Liberdade.

No evento, será lançado o video mapping na fachada do Palácio da Liberdade, que consiste em projeções mapeadas variadas que remontam à memória do tricentenário. Haverá, ainda, apresentação do quarteto de cordas da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, um dos corpos artísticos da Fundação Clóvis Salgado (FCS).

 “As comemorações dos 300 anos de Minas Gerais surgem como um convite para que o público possa revisitar capítulos e aspectos da nossa história, a identidade e as múltiplas especificidades do nosso povo, que constroem a mineiridade. Nesse contexto, a transversalidade entre a Cultura e o Turismo se fortalece como ponto central para a retomada do desenvolvimento econômico do Estado, com o impulso da economia criativa”, destaca o secretário de cultura e turismo do Estado, Leônidas Oliveira.

Rotas

Com a criação do Circuito Turístico Liberdade serão sugeridas rotas turísticas que permitam contemplar o patrimônio, a arquitetura, a cozinha mineira, as artes e todo o contexto de Belo Horizonte que envolve os 300 anos da fundação de Minas Gerais.

Entre elas estão a “Minas 300 anos”, que busca aproximar o visitante do sentimento de “mineiridade” por meio da apresentação de parte da história e da memória do estado, com sugestão de locais a serem visitados como o Palácio da Liberdade, a Rua da Bahia, o Museu Mineiro, entre outros.

Já a rota “Arquitetura e Patrimônio” terá locais como Viaduto Santa Tereza, Edifício JK, Praça da Estação e Edifício Niemeyer. Há também a rota “Cozinha Mineira”, com indicação de restaurantes tradicionais de Belo Horizonte. A rota “Mapa das Artes”, por sua vez, sugere o Palácio das Artes, Museu Mineiro, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), Museu Inimá de Paula e Sesc Palladium como lugares de apreciação do tema.

Foto: Lúcia Sebe/ Agência Minas

Leia mais sobre o Roteiro Clube da Esquina leva turistas a pontos de encontros dos artistas (aqui)

Mais Notícias