Orientações nutricionais para pacientes com Covid-19 e pós Covid-19

Junia Bethonico | 31/03/2021

Nesse momento em que vivemos, uma verdadeira guerra contra o COVID-19, tenho pesquisado e estudado bastante para poder contribuir, com o meu melhor, para a cura, para a melhora da qualidade de vida de todos meus clientes e de todos os leitores do Cidade Conecta.

Espero, contribuir para que uma alimentação saudável que auxilie na plena recuperação e melhore a qualidade de vida de todos.

ALIMENTAÇÃO PÓS-ALTA

Uma alimentação saudável e com horários regulares é fundamental para garantir a ingestão adequada de nutrientes, essenciais para a recuperação. Estes nutrientes vão ajudar a fortalecer o sistema imunológico e ainda, promover a força e a disposição. Para que isto aconteça é preciso combinar vários nutrientes (carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais) presentes naturalmente nos alimentos.

Carboidratos: São nutrientes que nos dão energia e disposição. Eles são encontrados nos cereais (dê preferência aos integrais), tais como arroz, aveia e trigo. Raízes e tubérculos (aipim, batatas, inhame).

Gorduras: Elas também fornecem energia, sendo que algumas vitaminas, são obtidas somente em alimentos fontes de gorduras. São fontes de gorduras, o azeite de oliva, o abacate, óleos vegetais, a gema de ovo, leite integral e seus derivados, tais como queijo e manteiga.

Proteínas: São nutrientes essenciais para manter nosso sistema de defesa e manter nossa massa muscular. Elas são encontradas nas carnes em geral, seja de boi, porco, frango ou peixe. Algumas leguminosas também são fontes proteínas, como o feijão, ervilha, lentilha. Leites e ovos também entram na lista.

Vitaminas e minerais: São substâncias fundamentais para diversas funções do corpo, inclusive a respiração. Frutas, verduras, legumes são excelentes fontes, principalmente se consumidos crus ou frescos.

NECESSIDADES DE CADA INDIVÍDUO

Cada paciente tem necessidades específicas para ingestão de calorias e nutrientes. Isto pode variar conforme a situação de cada indivíduo. Deve-se observar e levar em conta a idade, a presença de doenças crônicas tais como diabetes e pressão alta, resultados de exames laboratoriais, sedentarismo, entre outros.

Consideradas estas e outras individualidades, deve-se adotar e seguir um plano alimentar com orientações nutricionais elaboradas para cada caso.

UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Uma alimentação saudável é baseada em alimentos in natura, onde limita-se o consumo de alimentos processados e evita-se os alimentos ultraprocessados (industrializados). Estes trazem prejuízos a saúde, pois são ricos em corantes, conservantes, sódio e gordura trans, além de outras substâncias que podem atrapalhar a absorção de nutrientes importantes.

Evite consumir alimentos congelados, destes embalados e comprados nos supermercados e padarias, tais como pizza, lasanha, almôndegas, empanados. Embutidos como salsicha, linguiça, mortadela, peito de peru, presunto. Macarrão instantâneo. Refrigerantes e sucos prontos. Massas prontas para bolo. Temperos industrializados.

Dê preferência as hortaliças da safra, pois além de mais saborosas, elas possuem menos agrotóxicos e contém mais vitaminas e minerais, inclusive àqueles relacionadas com o nosso sistema de defesa.

NUTRIENTES PARA O SISTEMA IMUNOLÓGICO

Alguns minerais e vitaminas são importantes para o sistema imunológico e combatem às infecções. Por isto não pode faltar as vitaminas A, C, D, B6, zinco, selênio, dentre outros.

Vitamina A

Ela ajuda a melhorar a nossa imunidade. Está presente no leite integral, ovo, peixe, vegetais de cor amarelo e alaranjados (ex.: abóbora e cenoura) e batata doce.

Vitamina C

A vitamina C é uma vitamina que fortalece nosso sistema de defesa. Ela está presente nas verduras cruas e frutas, como mexerica, caju, goiaba, acerola, laranja e limão.

Vitamina D

Muito importante para o bom funcionamento do sistema imunológico, a vitamina D também atua na saúde dos ossos. Suas principais fontes são a gema de ovo, peixe, leite e seus derivados. A exposição solar é também muito importante para fazer com que o nosso corpo produza vitamina D.

Vitamina B6

A vitamina B6 é muito importante para o nosso organismo. Sua falta reduz a produção de anticorpos prejudicando o sistema imunológico. Ela está presente nos peixes, ovos, leite e derivados e cereais integrais.

Zinco

O zinco atua na linha de frente do combate às infecções e melhora o paladar. Ele pode ser encontrado nas carnes tais como peixes e frango. Também nos grãos integrais e feijões.

Selênio

Já o selênio pode ser facilmente obtido com o consumo de uma unidade de Castanha do Pará por dia! Essa quantidade diária fornece 100% do selênio que você precisa.

SUPLEMENTAÇÃO

O uso de suplementos, polivitamínicos e minerais só pode ser feito após uma consulta com sua nutricionista. Este profissional poderá prescrever a quantidade necessária para cada caso. Por isto, não faça uso destas cápsulas por conta própria. Pode ser perigoso para a sua saúde.

ESTATÉGIAS NUTRICIONAIS PARA SINTOMAS DA COVID-19

Mesmo tendo recebido a alta, os sintomas da doença costumam continuar, por um período. Entre eles, a redução do apetite, alterações no olfato e paladar, fraqueza e cansaço para alimentar-se e fazer outras tarefas, e consequentemente, perda de peso.

Perda de peso

Caso o período de internação tenha sido longo e houve grande perda de
peso é importante lembrar que além de gordura sempre há também perda
de massa muscular. Por isto, nesta fase de recuperação, é importante
equilibrar o consumo de calorias, com quantidade adequada de proteínas.

Mesmo que não haja apetite, deve-se manter a alimentação nos
horários indicados.

Manter um mínimo de 5 refeições por dia, sendo café da manhã,
lanche, almoço, lanche e jantar. Nesta fase não faça dietas de sua
cabeça, procure orientação. Alimentos simples, pobres em nutrientes
devem ser evitados. Não pule ou substitua refeições importantes como
o almoço e jantar.

Cansaço

Em todos os casos de doença respiratória é comum sentirmos cansaço
ou falta de ar ao mastigar. Para reduzir o esforço as preparações
poderão ser modificadas. Ao invés de alimentos sólidos, uma papinha,
uma sopa pastosa ou semilíquida pode ajudar na alimentação.
Evite fazer esforço físico antes de alimentar-se. Descanse e tente
encontrar a melhor posição para realizar as refeições.

Desidratação

Mesmo que não haja sede é muito importante hidratar-se neste período.
A ingestão de líquidos ajuda a eliminar secreções dos pulmões,
além de outras funções vitais para o nosso organismo. Por isto, tome
água de hora em hora. Faça sucos nutritivos com frutas, legumes e
folhas.

Caso haja diarreia ou vômitos, prepare uma solução de soro caseiro e
consuma ao longo do dia.

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO

Por último dedique-se a alimentação, tornando-a prazerosa. Resgate as
relações familiares e culturas.

Defensora da Saúde com Prazer, recomendo que cada refeição seja um
momento de descobertas, de cheiros e aromas pela casa, de cores e
sabores nos pratos e de mesa bonita. Mantenha o alto astral, o
pensamento positivo e acima de tudo a esperança.

Mesmo sendo a Covid-19 uma doença nova e desafiadora, nós podemos sim,
além dos protocolos de segurança tais como o uso da máscara, lavar as
mãos e usar o álcool gel constantemente e sempre que se fizer
necessário, evitar aglomerações e manter o distanciamento, podemos
estabelecer condutas a nosso favor adotando uma alimentação saudável
e preventiva. Uma alimentação onde se descasca mais e desembala menos.

Com estas e outras medidas simples, fáceis e possíveis de fazer,
juntos, vamos vencer este desafio.

Confira outros textos da colunista Junia Bethônico (AQUI)

Mais Notícias