O otimismo da plaquinha

Mesmo com todos os desafios é muito bom e encorajador ver a nossa indústria do turismo se movimentando novamente.

Paula Starling | 30/08/2021

Outro dia estava almoçando na casa da minha mãe, quando ela me mostrou uma plaquinha, presente do Dr José Salvador Silva, fundador do Mater Dei que, segundo ela, fica em cima da mesa dele. 

E olhando para trás, nas minhas colunas de 2020, apesar de sempre otimistas, existia um misto de incertezas e, porque não, medo. 

A indústria do turismo e principalmente do turismo educacional onde o foco é exclusivamente de viagens ao exterior, estava parada, simplesmente não havia clientes, não havia “para onde ir”. 

Na verdade, naquela hora, o importante e desafiador foi trazer de volta os estudantes que estavam fora. Fico até hoje lembrando de vários pais “desesperados”, com toda razão, querendo trazer os filhos de volta o mais rápido possível. Fronteiras foram fechadas, voos cancelados, voos de repatriação e muitas outras “surpresas” ao longo de 2020.

Hoje, um ano depois, claro que ainda não voltamos ao “normal”, mas todas as agências estão embarcando estudantes e, quem diria, para destinos que até então pareciam impossíveis para nós brasileiros: Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Suíça.

Aos poucos novas fronteiras vão se abrindo para os brasileiros: veio a França, Alemanha, agora Espanha, reforçando ainda mais a importância e necessidade de nos vacinarmos.

E mesmo com todos os desafios: vistos que são concedidos no último minuto, novos formulários, testes PCR, voos cancelados, documentação sem fim – é muito bom e encorajador ver a nossa indústria se movimentando novamente. 

Para não sair do tema “histórias para se inspirar”, tivemos estudante que já tinha desistido do intercâmbio e final de julho de 2021 resolveu “ver se ainda dava tempo” e hoje, 24 de agosto, ela já está nos EUA, há 12 dias, frequentado aulas normalmente.

Há estudante que também resolveu fazer intercâmbio semana passada e vai embarcar. Ou seja, com disciplina, organização e muita vontade estamos conseguindo fazer de 2021 um excelente ano, contrariando todas as expectativas.

E aí lembrando da plaquinha do Dr Salvador, só me resta concordar com ela: “Isso também passa”. E no caso da pandemia, graças a Deus. 

Que venha 2022!