Nova York exige passaporte de vacinação para frequentar espaços públicos

Para comprovar a imunização é obrigatório apresentar informações contidas em um dos aplicativos desenvolvidos pela cidade ou pelo estado.

Da Redação | 10/08/2021

aplicativo passaporte

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, afirmou que a partir do dia 13 de setembro grande parte das atividades da cidade será necessária prova de vacinação contra a covid-19, com pelo menos uma dose.

Funcionários e clientes de restaurantes, academias e locais de entretenimento fechados, tais como cinemas e shows, terão que provar que receberam pelo menos a primeira dose do imunizante, que tenha sido aprovado pela W.H.O. (a Anvisa dos Estados Unidos), além da AstraZenca / Oxford, no caso dos turistas internacionais.

A informação está no site “Time Out”, mas outros veículos de imprensa também confirmam tal exigência.

Logo após o anúncio, foi criado um debate para dois passaportes de vacina digital: o COVID Safe App (lançado pela cidade de Nova York) e o Excelsior Pass (lançado pelo estado de Nova York). Várias questões surgiram em torno do esforço de prevenção, especialmente de nova-iorquinos inseguros sobre como isso afetará a vida cotidiana em uma cidade que, apenas algumas semanas atrás, abandonou amplamente os requisitos de máscaras e limites de capacidade.

Algumas dúvidas ainda existem: Os clientes vacinados também devem usar máscaras? Quanto tempo duram os passaportes da vacina? Quais são as regras de privacidade e segurança de cada aplicativo?

Excelsior Pass?

O Excelsior Pass chegou no início deste ano, tornando-se o primeiro passaporte para vacinas emitido pelo governo no país. Depois de fazer o upload do comprovante de vacinação, o aplicativo funciona basicamente como um código QR que você pode apresentar nos estabelecimentos.

Não precisa ser um residente de Nova York para usar o aplicativo, mas deve ter recebido sua vacinação dentro do estado, ou ser um nova-iorquino que recebeu uma fora do estado. As informações exigidas dos usuários provavelmente não são diferentes das exigidas para obter uma conta de e-mail ou fazer compras on-line hoje em dia: nome, sobrenome, código postal, data de nascimento e número de telefone.

A pessoa também pode armazenar resultados de teste Covid-19 negativos no aplicativo que são válidos por um período fixo de seis horas a três dias, conforme o tipo de teste. Qualquer pessoa que recebeu uma vacina ou um resultado negativo no teste no estado de Nova York está qualificada para usar o aplicativo, incluindo crianças menores de 18 anos. No início de julho, o passe tinha mais de dois milhões de downloads – representando apenas 10% do total de vacinações em Nova York Estado.

Polêmica

O Excelsior Pass oferece uma experiência básica, mas a conversa sobre o aplicativo tem sido tudo menos isso. A gigante da tecnologia IBM, que desenvolveu o Excelsior para o governo estadual, promete que todos os dados serão privados e seguros usando tecnologias de blockchain e criptografia.

Mas a IBM não informa detalhes exatos de como essas tecnologias funcionam, relatou o site The Intercept. Além disso, um artigo do MIT Technology Review apontou que as empresas usam um aplicativo separado para escanear códigos QR, e há a possibilidade de que as localizações dos usuários possam ser rastreadas por esses scanners.

Logo após o lançamento do Excelsior, mais de uma dúzia de estados proibiram expressamente a criação e / ou aplicação de passaportes de vacinas, incluindo Flórida, Missouri, Texas, Arizona e outros.

O Excelsior até oferece uma forma simples e conveniente de comprovar a vacinação. E, até agora, não teve grandes soluços ou controvérsias. Apesar disso, ainda existe um grande medo e hesitação entre os conservadores e especialistas em privacidade on-line em torno do grande envolvimento do governo nos passaportes de vacinas.

COVID Safe

Se o aplicativo Excelsior é uma experiência básica, o aplicativo COVID Safe é decididamente um aplicativo básico e sem sofisticação. A tecnologia está mais voltada para o armazenamento de fotos – os usuários tiram uma foto de seu cartão de vacina, mas o aplicativo não confirma se o cartão de vacina é válido. A simplicidade da tecnologia é um defeito: os usuários conseguiram fazer upload de tudo, desde um frasco de loção até uma foto do Mickey Mouse como seu cartão de vacinação.

A porta-voz da prefeitura de NY, Laura Feyer, esclareceu que as empresas devem confirmar as fotos da vacina armazenadas no aplicativo. “O aplicativo foi projetado com a privacidade em primeiro lugar e permite que alguém armazene digitalmente seus Cartão CDC e identificação. Alguém que checasse os cartões de vacinação na porta de um restaurante ou local veria que esses exemplos não são cartões de vacina adequados e agiria de acordo”, explica.

O App deve atrair aqueles que se preocupam com a privacidade, pois nenhuma informação é armazenada nos bancos de dados. Além disso, pode ser usado por pessoas que receberam sua vacinação fora do estado de Nova York.

Diferenças

Afinal, qual a diferença dos aplicativos? O COVID Safe App pode ser usado por qualquer pessoa que tenha recebido uma vacinação Covid-19 aprovada pelo W.H.O., enquanto o Excelsior Pass só por alguém que recebeu uma vacinação no estado de Nova York ou nova-iorquinos vacinados fora do estado.

Além disso, o Covid Safe App requer menos informações pessoais e não armazena os dados dos usuários. Por outro lado, o Excelsior Pass é um aplicativo significativamente mais amigável e elegante de usar.

Outra dúvida é: Por quanto tempo o mandato permanecerá em vigor? O prefeito Bill de Blasio não mencionou o período, mas é parte de vários esforços para aumentar a taxa de vacinação em Nova York, incluindo um incentivo em dinheiro de US $ 100 para vacinações e requisitos de vacinação para vários funcionários públicos.

Segundo a prefeitura, os não vacinados ou quem não conseguir comprovar a imunização não poderá acessar restaurantes, academias e shows e apresentações em locais fechados. No entanto, é possível que as restrições sejam mais amplas e incluam mais espaços de tráfego intenso. Além disso, as empresas e instituições ainda têm espaço para impor seus próprios requisitos de uso máscara.

Todos os teatros da Broadway também exigirão que o público mostre um comprovante de vacinação e use suas máscaras.

Foto: Prefeitura de NY / Divulgação

Confira outras matérias sobre vacinação AQUI