Nissan quer a liderança elétrica

Novo presidente para o Mercosul, Airton Cousseau vai precisar usar suas habilidades para ampliar a rede de concessionárias Leaf

Da Redação | 28/05/2021

Com menos de um mês à frente das operações da Nissan no Brasil e Mercosul, o novo presidente Airton Cousseau tem entre seus desafios ampliar a rede credenciadas Leaf, carro elétrico da marca que hoje só pode ser comercializado em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Brasília. Com dois grupos representantes, Belo Horizonte é uma das capitais sem autorização para vender ou prestar assistência ao elétrico da marca japonesa. “Em breve BH terá surpresas”, anuncia, sem revelar, contudo, quando isso acontece.

Este assunto de “escolha” de concessionárias Leaf parece não ser tão simples. É que para tal, segundo fonte de concessionária, a empresa precisa investir cerca de R$ 300 mil, para montagem de uma tenda exclusiva, treinamento de pessoal, aquisição de equipamentos e instalação de ponto para recarregamento das baterias. Nos bastidores, nem todas as concessionárias querem gastar este montante – daí a rede reduzida no Brasil.

Contudo, se nos planos de Cousseau está a liderança da Nissan no segmento dos elétricos no Brasil e transformar os distribuidores em eletropostos, talvez a ampliação da rede deverá ser a forcépis. Mas o novo executivo tem fama de ser um exímio negociador e muito habilidoso nas relações interpessoais. Por isso, pode ser que o processo seja menos doloroso. 

Com mais de 30 anos na indústria automotiva e oito anos na Nissan, Airton ocupou cargos de liderança na empresa não somente na América Latina, como também na América do Norte e China. 

FOTO / Divulgação JC / Nissan

Mais Notícias