“Música no Hospital” promove humanização do ambiente hospitalar

O objetivo com o projeto é de humanizar o ambiente hospitalar, harmonizando este local que é hostil, buscando trazer um momento de descontração, de alegria e de conforto através da música.

Da Redação | 16/10/2020


Novidade. O projeto “Música no Hospital”, idealizado pelo Instituto Mário Penna e ECA – Espaço de Cultura e Arte, realiza sua primeira edição, apresentando o concerto “Harpiola Duo”, com Cecília Pacheco, harpista, e Alysson Rodrigues, violista. A proposta é contribuir na recuperação dos pacientes e na humanização do ambiente hospitalar.

O projeto é destinado para aqueles que estão internados, seus familiares, visitantes e toda a equipe técnica do hospital. Estão previstas 12 apresentações, sendo uma por mês, até setembro de 2021. A estreia vai acontecer no dia 22 de outubro, quinta-feira, às 10h30, no jardim do Hospital Luxemburgo, com transmissão pelo Instagram e Facebook do ECA (@ecabh) e do Instituto Mário Penna: Instituto Mário Penna (YouTube e Facebook) e Instagram (@institutomariopenna).

Para atender ao protocolo de segurança referente ao Covid-19, os músicos e a equipe envolvida no projeto usarão máscaras e manterão o distanciamento recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde). Além disso, a apresentação será realizada em área externa. No local, haverá orientação aos presentes quanto ao protocolo para evitar qualquer aglomeração. “A ideia é que a música dissemine pelo hospital e que o som cause uma boa supresa para quem estiver em todo o ambiente hospitalar”; conta Gizelle Mesquita Evangelista, coordenadora do Setor de Humanização e Psicologia Hospitar do Instituto Mário Penna. 

Para Gizelle, este é um momento ainda mais importante de trabalhar a humanização do ambiente hospitalar. “A música faz com que as pessoas possam internalizar sentimentos positivos e também faz com que se sintam mais integradas e mais acolhidas num momento que, muitas vezes, é difícil em suas vidas. Nosso objetivo com o projeto é de humanizar o ambiente hospitalar, harmonizando este local que é hostil, buscando trazer um momento de descontração, de alegria e de conforto através da música. Entendemos que a música tem um efeito terapêutico e que auxilia no tratamento no sentido de trazer bem estar, resgatando emoções positivas e lembranças afetivas, estimulando o bom humor, diminuindo o estresse e a ansiedade das pessoas que estão em ambiente hospitalar, seja o doente, seu acompanhante e o colaborador”; explica. 

O idealizador do projeto e analista de Projetos Institucionais do Instituto Mário Penna, Filipe Andrade Tavares Guimarães, conta que a ideia surgiu a partir da comprovação da capacidade da música em contribuir para a melhoria da saúde de um modo geral e, principalmente, para os pacientes oncológicos em situação de vulnerabilidade.

Leia também: Outubro rosa: a luta contra o câncer não pode esperar

“A música é uma forma de expressar emoções e sentimentos, sendo parte importante num processo terapêutico. A partir dessa ideia, buscamos a parceria com o espaço ECA para realizar o projeto, levando em conta o trabalho que o espaço desenvolve com artistas que unem a música erudita e popular. Para a curadoria das apresentações, pensamos nessa leveza do instrumental, aliada a canções conhecidas pelo público”; reforça Filipe Guimarães. 

O concerto “Harpiola Duo”, com Cecília Pacheco, harpista, e Alysson Rodrigues, violista, tem previsão de duração de uma hora. No repertório estão as canções Libertango (Astor Piazzolla), Oblivion (Astor Piazzolla), Bachianas 5 (Heitor Villa-Lobos), Cisne Negro (Heitor Villa-Lobos), Intermezzo Carmen (Georges Bizet), Samba em Prelúdio (Vinícius de Moraes e Baden Powell), Certas Coisa (Lulu Santos), Orientale (Enrique Granados), London Air (tradicional inglesa), Variações sobre Greens Sleeves (Anônimo) e Água de Beber (Tom Jobim). 

Harpiola Duo

A vontade de fazer música de câmara e dar roupagens diferentes à composições dos mais diversos estilos fez com que os músicos Cecília Pacheco, harpista, e Alysson Rodrigues, violista, criassem o Harpiola Duo, em meados de 2015.

Mesclando o erudito com o popular, Cecília e Alysson, ambos bacharéis em música pela Universidade Federal de Minas Gerais e músicos da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, exploram a sonoridade de dois instrumentos pouco conhecidos do grande público: a harpa e a viola.

Instituto e Hospital Mário Penna

O Instituto Mário Penna é uma instituição filantrópica de saúde especializada em tratamentos contra o câncer. O Instituto é mantenedor das seguintes unidades: Hospital Luxemburgo, Núcleo de Especialidades Oncológicas, Casa de Apoio Beatriz Ferraz e o Núcleo de Ensino e Pesquisa. É o maior prestador do SUS em atendimento oncológico de Minas Gerais, atendendo mais de 760 municípios.

Foram atendidas mais de 153 mil pacientes no último ano, o que mostra o comprometimento em atender todos que passam pela Instituição com maestria, e cumprindo com sucesso o legado de 49 anos de história. Doações para a instituição podem ser feitas pelo site mariopenna.org.br ou pelo 0800 039 1441.

O projeto “Música no Hospital” é realizado em parceria do Instituto Mário e ECA – Espaço de Cultura e Arte, com o patrocínio da Cedro Mineração e Ibiritermo, com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério do Turismo.  

Serviço: 

“Música no Hospital” – Concerto Harpiola Duo

  • Dia: 22 de outubro, quinta às 10h30
  • Local: Jardim Hospital Luxemburgo, administrado pelo Instituto Mário Penna – fechado ao público externo. 
  • Transmissão ao vivo pelo Instagram e Facebook do ECA (@ecabh) e do Instituto Mário Penna – Instituto Mário Penna (YouTube e Facebook) e Instagram (@institutomariopenna).

Foto: Charles Brooks

Mais Notícias