Museu da Imagem e do Som inaugura exposição “Cinejornais em Belo Horizonte”

Da Redação | 12/11/2021

A Secretaria Municipal de Cultura e a Fundação Municipal de Cultura inauguram nesta sexta-feira, dia 12, uma nova exposição no Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte (MIS BH): “Cinejornais em Belo Horizonte”. A mostra aborda em diversos aspectos os cinejornais da capital mineira – noticiários audiovisuais que eram exibidos nos cinemas entre as décadas de 1920 e 1980, antes do filme principal –, oferecendo ao público um panorama da história da cidade a partir destas produções.

A exposição dá visibilidade a itens do acervo do MIS BH, que conta com 605 cinejornais, sendo a maioria deles de Belo Horizonte e feitos principalmente sobre a perspectiva da administração pública da cidade.  A secretária Municipal de Cultura e presidenta Interina da Fundação Municipal de Cultura, Fabíola Moulin, destaca a importância da preservação do acervo fílmico, bem como sua divulgação. “Os cinejornais são uma fonte rica de acesso à história da cidade, e servem para nos dar pistas sobre os caminhos que nos trouxeram até aqui. A exposição contribui para possibilidades de diálogo entre a sociedade e essas produções audiovisuais, evidenciando conexões das obras com o presente e o futuro”, ressalta.

Com o objetivo de repassar ao público as informações tidas como relevantes no momento, os cinejornais eram produzidos por companhias privadas ou pelo próprio Estado. Além do caráter informativo, sobre a cidade e suas agendas, as produções também serviam muitas vezes como forma de propaganda. Entre os assuntos comuns nas produções, estão inaugurações de obras, pontos turísticos, festas populares e outros eventos, à época, tidos como importantespara a cidade.

Olhares diversos

A mostra abordará diferentes aspectos dos cinejornais, desde o surgimento à decadência, do processo de produção à conservação das películas, o uso da linguagem cinematográfica, e também como essas produções foram utilizadas enquanto ferramentas de discursos por autoridades ao longo da história. Para isso, a exposição cria ambientes que reúnem equipamentos de produção dos cinejornais, como câmera de filmagem em películas, microfones, projetores e enroladeira, itens utilizados na montagem de filmes e no processo de conservação/restauração, além de textos, imagens e vídeos produzidos pela equipe do MIS BH abordando a temática dos cinejornais.

A partir de três eixos temáticos – o carnaval, os rios urbanos, e as ausências -, a mostra pretende apresentar um panorama sobre as práticas discursivas ao redor desses temas, promovendo também um diálogo entre o passado e o presente. Para isso, serão apresentados cinejornais sobre os temas citados, contrastados com imagens e manchetes de jornais atuais (2015-2020).  O visitante poderá vislumbrar, por exemplo, como era a festa momesca em Belo Horizonte, nos anos 1960 e 1970, a sucessão de obras que eliminaram os rios urbanos da paisagem no processo de urbanização e no planejamento da cidade, ou como os cinejornais tinham como foco uma classe muito específica de pessoas, geralmente homens de famílias “tradicionais” e ligados à vida política do Estado.

Preservação e Memória

Um terço da produção brasileira do século XX era composta por cinejornais, sendo, muitas vezes, o único registro audiovisual de eventos históricos e culturais do período. Com diversas atividades, o MIS BH tem como missão preservar, organizar e disseminar os registros audiovisuais ligados à história de Belo Horizonte. Dessa forma, a exposição também aborda o trabalho de pesquisa e técnicas de conservação desse tipo de material, e o desafio que é para o Museu e outros órgãos que desempenham funções semelhantes pelo Brasil e pelo mundo. O Museu funciona de quarta-feira a sábado, das 11h às 18h, atendendo a todos os protocolos de prevenção ao contágio pela Covid-19, incluindo o agendamento prévio, com a retirada de ingressos de forma gratuita pelo portal da Prefeitura.

Serviço:

  • Exposição “Cinejornais em Belo Horizonte” – Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte – MIS BH
  • Av. Álvares Cabral, 560 – Lourdes
  • A partir de 12 de novembro de 2021
  • Horário de visitação: quarta-feira a sábado, das 11h às 18h
  • Entrada gratuita mediante agendamento AQUI.

Fonte: PBH

Foto: Acervo MIS BH