Mercado de franquias em Minas Gerais dá sinais de recuperação

Setor fatura mais de R$ 3,4 bilhões no 3º trimestre de 2020, chegando a mais de 9.700 pontos operando no estado

Da Redação | 25/01/2021

O setor de franquias mineiro acelerou sua trajetória de recuperação no final do ano passado, se aproximando de níveis pré-Covid-19. É o que indica a Pesquisa Trimestral de Desempenho realizada pela ABF – Associação Brasileira de Franchising referente ao 3º trimestre de 2020.

No período, o mercado de franquias em Minas faturou cerca de R$3,4 bilhões. Este faturamento foi similar à média nacional, que foi de queda de 7%, e significativamente menor que os 36% de queda registrados no 2º trimestre de 2020.

Fatores como a flexibilização das políticas de isolamento social e a consequente retomada da economia, a intensificação das vendas das redes por e-commerce e a melhora do índice de confiança do empresariado contribuíram para esse desempenho.

Reação

Minas Gerais é o terceiro estado da nação em número de redes e unidades de franquias em operação. O Estado aumentou 5% em número de redes, atingindo o patamar de 800 marcas. Além disso, expandiu 8% em número de pontos de venda, com um total de 9.733 unidades.

“Mesmo com todas as tribulações que tivemos nesse ano, nosso estado tem reagido devido a força de estamos em rede. Somos resilientes com inúmeras oportunidades em franquias”, destaca a diretora da regional Minas da ABF, Danyelle Van Straten.

Setores

A pesquisa da ABF aponta alguns segmentos que se destacaram em Minas Gerais no trimestre analisado frente a igual período de 2019. Serviços e Outros Negócios alcançou variação média positiva em unidades de 41,2% seguido de Limpeza e Conservação (21,4%), e Alimentação (9,8%). 

De forma geral, a manutenção das medidas de distanciamento social, responsável pela maior permanência das famílias em casa, têm favorecido esses segmentos.

Em Minas, a maioria das redes atua no segmentos de Alimentação (22,1%), Saúde, Beleza e Bem-Estar (20,7%), e Serviços e Outros Negócios (13,3%).

Foto: Pixabay

Mais Notícias