Menos é mais: alguns cuidados para não errar na construção da sua imagem pessoal

Dani Bicalho | 05/05/2021

Costumo dizer que maquiagem é gosto pessoal. Algumas gostam de uma make natural no estilo “acordei assim”, outras, preferem uma produção mais carregada com efeito transformação total. Tudo certo até aí. 

É possível explorar uma gama enorme de técnicas e truques de beleza entre esses dois extremos. Mesmo assim, sou perguntada com alguma frequência sobre quais são os maiores “erros” de maquiagem e beleza que observo em geral. Coloco assim, entre aspas, porque o que considero errado dentro do meu senso de estética, pode ser super ok para o outro. Questão de gosto que invariavelmente muda de pessoa pra pessoa. Além disso, esses “erros” vão mudando conforme a época, a moda e a tendência do momento. 

Isso sendo dito, vou me ater aqui a quatro pontos que merecem destaque. Vamos a eles:

Sobrancelha ultra marcada:

Elas começaram a aparecer faz algum tempo, impulsionadas pela técnica de micropigmentação que, quando bem feita, só vem a somar. Porém, graças a disseminação de um modelo padronizado dos fios e alguns profissionais desprovidos da técnica da sutileza, as sobrancelhas se tornaram super marcadas, escuras além da conta e totalmente padronizadas. Fica óbvia a intervenção feita e chama demasiada atenção para aquilo que deveria ser um coadjuvante. Enfim, a moldura falando mais do que a obra.

Extensão grosseira de cílios:

Não há nada mais feminino e bonito do que cílios curvados e definidos que por si só abrem o olhar, contudo o que tenho visto são extensões de cílios enooormes, com fios grossos, ultra pretos e que em nada combinam com a delicadeza de cílios naturais.

Existem ótimos profissionais que aplicam a técnica de extensão com maestria e vale a pena procurar por um desses para não errar a mão. É preciso lembrar que o resultado final deve ser bonito não só maquiada e produzida mas também, e principalmente, de cara lavada, quando se vai pra academia ou comprar um pão na padaria.

Tom de base errado:

Ok, essa não é uma ciência fácil. Quem nunca errou o tom na compra de uma base, que atire a primeira pedra. Nesse caso, dá pra reverter o prejuízo misturando o produto com outro mais claro ou escuro que você já tenha para que o desperdício não seja total.

O que acho mais grave, são as pessoas que, conscientemente, compram a base vários tons mais escuros porque “querem ficar mais bronzeadas” e saem por aí como se o rosto não fizesse parte do resto do corpo (de outra cor completamente diferente!). Uma coisa meio Barbie de cabeça trocada, sabe como? Simplesmente não encaixa.

Blush “chinelada na cara”:

Esse é um clássico, A pessoa começa a passar o blush, aí vai se empolgando, se emocionando e quando vai ver, VRAU! O efeito que era pra ser de maçãs proeminentes e ar de saúde, se transforma em uma chinelada na cara! Muito produto, muito marcado, zero sutileza. Faz lembrar as bochechas coloridas dos anos 80. De arrepiar.

Bom, se você acha que se encaixa ou já se encaixou em algumas dessas situações, lembre-se, é tudo fácil de ser consertado, ufa! Todos esses “erros” pecam apenas pelo excesso ou má execução.

Sobrancelha naturalmente desenhada, extensão de cílios delicada, base que corrige as imperfeições e blush “acordei plena e saudável, são truques maravilhosos para a sua imagem pessoal. É só lembrar que no mundo da beleza, menos também é mais.

Confira outras dicas da colunista Dani Bicalho (aqui)