Mano Down analisa perfil de pessoas com deficiência

O propósito é buscar informações mais assertivas sobre a quantidade de indivíduos com deficiência e sanar uma lacuna que há muito tempo dificulta políticas públicas para estas pessoas.

Da Redação | 08/10/2020

Iniciativa. Nesta primeira quinzena de outubro o Instituto Mano Down vai iniciar uma iniciativa pioneira no Brasil: uma pesquisa quantitativa para mapear a incidência de pessoas com deficiência e, em especial, com a síndrome de Down em Belo Horizonte. A pesquisa será conduzida pelo Instituto Vox Populi e a expectativa é que sejam entrevistadas mais de 2 mil famílias, entre os meses de outubro e novembro.

O propósito é buscar informações mais assertivas sobre a quantidade de indivíduos com deficiência, qual o perfil delas e se possuem alguma outra deficiência física, intelectual ou mental associada, e sanar uma lacuna que há muito tempo dificulta políticas públicas para estas pessoas. A previsão é que os dados sejam apresentados até a primeira semana de dezembro próximo.

Segundo o idealizador e presidente do Instituto Mano Down, Leonardo Gontijo, “é fundamental conhecer esse cenário para que possamos juntos tirar as pessoas com deficiência da invisibilidade social e definir programas e políticas públicas para a construção de uma sociedade mais justa, humana e inclusiva”.

Ainda de acordo com Leonardo Gontijo, a Lei Brasileira de Inclusão Nº 13.146, estabelece no artigo 92, a criação do Cadastro Nacional de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Cadastro-Inclusão), com o registro público eletrônico para coletar e sistematizar as informações de identificação da pessoa com deficiência. No entanto, o cadastro ainda não é efetivo. “Embora a lei estabeleça isso e seja considerada um avanço normativo, na prática, não foi efetivada. E hoje não temos dados e indicadores suficientes para análises”, esclarece.

Atualmente a maior parte dos indicadores presentes nos estudos, notícias e demais divulgações que dizem respeito às pessoas com deficiência utiliza como referência os dados obtidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com a realização do Censo Demográfico 2010, que segundo muitos pesquisadores não representa a realidade brasileira.

Mais Notícias