Líder é autorizada a adotar o Diário de Bordo Digital

Inédito no transporte aéreo público, documento promove a digitalização no setor e maior segurança na guarda de informações.

Da Redação | 20/08/2021

A Líder Aviação é a primeira empresa de transporte público brasileira a receber autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para implementação do Diário de Bordo Digital (eDB). Com a autorização, emitida no último dia 30 de julho, a empresa poderá implementar sistema que objetiva aprimorar a segurança, reduzir custos, promover o desenvolvimento do setor e a agilidade na inserção de dados.

O eDB foi regulamentado pela Resolução nº 457 e pela Portaria 3220/SPO/SAR), que atualiza os procedimentos para o registro de informações do Diário de Bordo das aeronaves civis brasileiras. Essa atualização da norma possibilita que o operador registre os dados do Diário de Bordo em plataforma digital.

A superintendente da Líder Aviação, Junia Hermont, observa que a autorização reforça a busca da empresa por modernização, cultura digital, sustentabilidade e uma operação cada vez mais segura para os usuários.

O aval concedido pela Anac é registrado nas Especificações Operativas (EO) da empresa – documento do operador que especifica que autorizações ele possui – e permite que o operador não seja mais obrigado a portar o documento impresso “Diário de Bordo”, mas sim o dispositivo eletrônico que hospeda o seu sistema eDB.

O processo para concessão da autorização para utilização do eDB inclui, além da análise dos requisitos operacionais e funcionais do sistema, a verificação do atendimento dos requisitos de segurança de informação.

Para a implantação a empresa envolveu sua equipe própria de TI para modernizar todo o processo.

“A aplicação e utilização dos sistemas de informação da nossa empresa sempre foram um diferencial e, continuamente, estamos aprimorando nosso processo digital. Automatizar o Diário de Bordo traz uma série de ganhos para as empresas do segmento, tais como, organização, velocidade e confiabilidade de dados; automatização de registros; eliminação de papeis; redução da carga de trabalho da tripulação; além de garantir mais segurança em todas as etapas de um voo”, explica a diretora de TI da empresa, Celina Marinho.