Instituto Mano Down entrega ao Estado pesquisa sobre perfil da pessoa com deficiência

O estudo foi realizado entre os meses de outubro e novembro de 2020 e foi conduzido com o Instituto Vox Populi.

Da Redação | 13/04/2021


O Instituto Mano Down segue com seu compromisso em transformar o mundo em lugar mais justo, inclusivo e igualitário. Sendo assim, a ONG, que atende mais de 300 famílias de pessoas com deficiência intelectual, acaba de entregar formalmente para a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) uma pesquisa do perfil da pessoa com deficiência em Belo Horizonte. 

A entrega deste documento aconteceu por meio de uma reunião on-line que contou com a presença do presidente do Instituto Mano Down, Leonardo Gontijo, Wesley Barbosa Severino e Luiza Helena, da Coordenadoria Estadual de Articulação e Atenção à Pessoa com Deficiência (CAADE). Na ocasião, além do encaminhamento do relatório da pesquisa, também foi discutida a importância de oferecer para a sociedade dados consistentes, que possam nortear políticas públicas voltadas para as pessoas com deficiência.  

A pesquisa foi uma iniciativa do Instituto Mano Down com o objetivo de mapear a incidência de pessoas com deficiência e, em especial, com síndrome de Down, na capital mineira. 

O estudo foi realizado entre os meses de outubro e novembro de 2020 e foi conduzido com o Instituto Vox Populi, que utilizou dois tipos de amostragem, a probabilística e a intencional – Famílias Down. 

Os dados preliminares foram apresentados durante entrevista coletiva, realizada em 03 de dezembro de 2020, data em que se comemora o Dia da Pessoa com Deficiência.  

A pesquisa do Instituto Mano Down

A amostra probabilística foi realizada em 173 bairros de todas as regiões administrativas da capital mineira. 

Ao todo, foram entrevistados 2.249 domicílios, sendo as informações representativas de 6.790 indivíduos. 

320 pessoas relataram ter pelo menos um tipo de deficiência, 16 delas com síndrome de Down. 

Hoje, podemos dizer que dos mais de 2,5 milhões cidadãos residentes em Belo Horizonte, 118.837 têm pelo menos um tipo de deficiência. Já na amostra intencional – Famílias Down foram realizadas cerca de 129 entrevistas. 

Para obter uma base maior e mais assertiva de informação sobre a síndrome de Down foi feita uma amostragem intencional, ou seja, o Vox Populi procurou intencionalmente por famílias com pessoas com Down. 

As entrevistas foram realizadas a partir de indicações e abordagem aleatória em centros de tratamento voltados para este tipo de deficiência, inclusive do próprio Mano Down. 

A amostra probabilística (aleatória) registrou 16 casos de pessoas com Down e a intencional encontrou 145. Dos entrevistados, 55,2% são mulheres e 44,8% são homens. 

Em relação à idade, a maioria dos entrevistados com síndrome de Down têm até 12 anos (53,4%). 

Além disso, 57,9% estudam atualmente e 42,1% não. Sobre a ocupação, apenas 11,1% estão empregados com carteira assinada, enquanto que 2,2% estão desempregados. Ainda, 37,6% relataram já ter sofrido algum tipo de preconceito ou discriminação em relação à síndrome de Down. 

Segundo Leonardo Gontijo, presidente do Instituto Mano Down, a pesquisa foi realizada para ampliar a missão da instituição de ajudar mais pessoas e proporcionar mais oportunidade para elas. “Precisamos mudar a palavra inclusão para oportunidade, pois pessoas não são dados, não são estatísticas, pessoas transformam o mundo e precisam ser legitimadas como são e não como gostaríamos que elas fossem”, enfatiza. 

Foto: Instituto Mano Down  

Confira também a coluna de Leonardo Gontijo, presidente do Instituto Mano Down, para o cidade Conecta (AQUI)

Mais Notícias