Gasmig congela preço do gás residencial até 2022

Por ser encanado, o gás natural dispensa o botijão e tem menor risco de explosão, além de ser menos poluente e o preço ser mais competitivo.

Da Redação | 07/04/2021

Os consumidores mineiros tem um motivo a menos para se preocuparem com a alta do gás natural, anunciado pela Petrobras em 39% para a partir de 1º de maio. Isso porque a GASMIG, Companhia de Gás de Minas Gerais, decidiu manter o preço do gás residencial congelado até fevereiro de 2022.

Essa iniciativa deve ter um papel importante para o orçamento mensal das famílias mineiras. A distribuidora de gás corrige a tarifa do residencial anualmente, mas mesmo com esta alta expressiva do custo, vai manter o preço congelado para dar estabilidade ao consumidor.

O uso do gás natural pode trazer alguns benefícios, afinal, por ser encanado, dispensa o botijão e tem menor risco de explosão, além de ser menos poluente e o preço ser mais competitivo. Um apartamento padrão, de 3 quartos, possui uma conta média de gás da Gasmig no valor de R$ 35,00 reais por mês.

Outros segmentos, como industrial e comercial, o repasse está sendo estudado. O presidente da Gasmig, Pedro Magalhães, trabalha para amenizar o impacto para o consumidor. “Esse repasse é um contrato que a empresa tem com a Petrobras. Tem alguns estados que têm algum contrato mais antigo, que é o caso de São Paulo, que consegue até vender um gás mais barato do que Minas. Nós não temos jeito de fazer nada a não ser repassar, mas nós vamos tentar ver se a gente acha um caminho para amortecer um pouco para os consumidores”, pontua.

Recentemente a Gasmig anunciou o congelamento do preço do Gás Veicular por 90 dias, até 03 de junho de 2021, e está também estudando o que vai poder fazer para diminuir o impacto deste aumento, mas o executivo da Companhia garante que o reajuste para o setor será menor.

O impacto dos reajustes no custo do gás já era uma preocupação no estado. Recentemente Magalhães se reuniu, na FIEMG, com o Subsecretario de Desenvolvimento Regional de MG, Fernando Passalio, com o Presidente da Cemig, Reynaldo Passanezi, que é o Presidente do Conselho da Gasmig, e o Presidente da FIEMG, Flavio Roscoe, onde foram debatidas medidas para tentar diminuir o impacto deste aumento e criar uma política de gás para o futuro, com o objetivo de o preço do gás ser menor e automaticamente aumentar a base de consumidores em Minas.

Foto: Pixabay

Confira outras notícias (AQUI)

Mais Notícias