Exposição virtual propicia ao público um passeio pela história de Belo Horizonte

A mostra explora a história de Belo Horizonte, retratada ao longo dos cômodos do Casarão do MHAB, umas das construções mais antigas da cidade

Da Redação | 27/01/2021

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, inaugurou na última terça-feira, 26, uma visita virtual à exposição “Complexa Cidade”, do Museu Histórico Abílio Barreto (MHAB).

A mostra explora a história de Belo Horizonte, retratada ao longo dos cômodos do Casarão do MHAB, umas das construções mais antigas da cidade. O tour virtual perpassa os dois circuitos de visitação da mostra – Habitar a Casa e Habitar a Rua –, que são complementares e articulam as dimensões privada e pública da cidade.

As visitas virtuais são gratuitas e podem ser feitas por meio do site Portal Belo Horizonte. Atualmente, o MHAB encontra-se fechado ao público, em função do decreto 17.523, de 7 de janeiro de 2021, que dispõe de medidas de prevenção à Covid-19.

Interativo

De forma interativa, a exposição “Complexa Cidade” poderá ser vista no formato de 360°, onde o visitante usa o computador para adentrar os espaços do museu, o que foi possível por meio do uso de um sistema de captura de imagens. Além de conhecer o prédio histórico do Casarão, o público poderá ter acesso às fotografias, plantas e objetos que compõem o acervo do MHAB.

Outra novidade é que o público poderá agendar uma visita mediada on-line pela exposição. Trata-se de uma mediação conduzida de forma remota pela equipe do Educativo do museu, permitindo que os visitantes debatam com os educadores as temáticas ligadas à mostra, além de tirar dúvidas a respeito do conteúdo em cartaz.

O agendamento da visita mediada pode ser feito pelo Portal de Serviços da Prefeitura, com a busca do item “Atendimento educativo virtual Museu Histórico Abílio Barreto”. As sessões têm duração aproximada de uma hora e são realizadas por meio de uma plataforma on-line gratuita.

 “O lançamento desta exposição em formato virtual, junto das visitas mediadas on-line, integra os esforços da Prefeitura em seguir oferecendo atividades culturais à população, ainda que diante da impossibilidade do encontro presencial neste momento em que o distanciamento é necessário. A exposição Complexa Cidade reúne um conteúdo importante sobre a história da nossa cidade, que agora poderá ser acessado por um número ainda maior de pessoas, que terão a oportunidade de conhecer Belo Horizonte desde os seus primeiros anos de criação”, destaca Fabíola Moulin, secretária Municipal de Cultura e presidenta interina da Fundação Municipal de Cultura.

A exposição

 “Complexa Cidade” foi concebida visando a abordar aspectos do surgimento de Belo Horizonte a partir do acervo do Museu Histórico Abílio Barreto. Ao longo do percurso, dois circuitos de visitação simultâneos e complementares, em suas complexas relações de oposição e reciprocidade, articulam a casa e a rua como dimensões privada e pública da cidade.

Por meio de objetos, vestígios arqueológicos, mapas, fotografias, pinturas e representações literárias, a exposição propõe ao visitante uma reflexão acerca da complexidade da cidade e das múltiplas maneiras de ocupá-la.

As salas do Casarão estão organizadas por temas que perpassam estes dois circuitos de visitação. Os dois primeiros temas propõem uma reflexão sobre “Habitar a Casa”, inicialmente apresentando os materiais construtivos e os tipos de edificações que se diversificam tanto ao longo do tempo quanto em relação ao universo social e, na sequência, por meio de fotografias e plantas de Belo Horizonte, trazendo as casas, vizinhanças e fronteiras da cidade.

Já o circuito “Habitar a Rua” é representado por uma sala que trata do Arraial do Curral Del Rei e da construção da Nova Capital. Neste circuito, o território urbano é apresentado por meio da projeção de mapas, textos e fotos de Belo Horizonte sobre a superfície de uma maquete topográfica da cidade, que retrata o crescimento da capital. Há, ainda, a poética urbana, que apresenta a narração de poemas e músicas, abordando percepções singulares sobre Belo Horizonte.

Fotos: Ricardo Laf

Mais Notícias