EPO amplia uso de energia renovável nos empreendimentos

Construtora mineira faz parcerias com empresas especializadas e consegue redução de até 20% de custos nas obras

Da Redação | 20/08/2021

O Grupo EPO têm implementado medidas sustentáveis em todas as fases de seus projetos, desde a concepção até a entrega dos empreendimentos. A mais recente é a energia fotovoltaica, fruto de uma parceria com duas empresas de geração de energias sustentáveis: Bulbe e BRA Renováveis.

Ao contratar a energia solar das fazendas da BRA Renováveis e da Bulbe, a empresa mineira garante economizar 20% do custo de energia utilizado na construção de todos os empreendimentos. A parceria com a Bulbe consiste na locação de parte da fazenda solar da empresa para fornecimento de créditos de energia solar para o Brisa Residencial, Luar Residencial e Rio Branco Residencial.

A BRA Renováveis, por sua vez, está responsável pelos seguintes empreendimentos: o Espaço 356, localizado na BR-356, na altura do bairro Olhos D’Água; o Parque Bandeirantes, no Sion; e as obras dos residenciais Luar e Brisa, no Vale do Sereno. Está prevista a instalação nas obras do Rio Branco, na Savassi, e no Navegantes, na Lagoa dos Ingleses.

As empresa estudam agora um projeto para futuramente estender a oferta da energia fotovoltaica para o consumo nos condomínios de prédios residenciais e comerciais entregues pela construtora.

A pandemia tem acelerado o desenvolvimento de novos modelos de negócios pelas empresas de energia, direcionando suas atenções às energias renováveis. Um estudo da PwC demonstra que essa tendência pode levar o setor para a próxima etapa da transição energética em direção à meta de emissão zero de carbono até 2050.

“A sustentabilidade e a inovação estão entrelaçados no nosso DNA”, afirma o diretor de Comercial e de Novos Produtos do Grupo EPO, Guilherme Santos.

Segundo ele, através da parceria com a BRA Renováveis, a construtora reforça a imagem como Environmental, Social, and Governance (ESG) friendly, que sintetiza uma série de critérios Ambientais, Sociais e de Governança com responsabilidade socioambiental através das “obras verdes”, e ainda reduzir os custos operacionais nas suas construções.

O executivo conta que a empresa se inspirou em exemplos de sucesso de países, alguns até menores e com menos irradiação solar que o Brasil, que estão à frente na geração limpa de energia.

Para ele, além dos benefícios para o meio ambiente, a adoção dessas medidas traz um impacto positivo à percepção do mercado sobre a construtora e contribui para a diferenciação dos empreendimentos, tendo em vista que os clientes estão cada vez mais exigentes em relação à sustentabilidade.

Foto: Pixabay