Emater-MG e Secretaria de Cultura firmam parceria para desenvolver o turismo rural

Da Redação | 30/08/2021

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo firmaram um Acordo de Cooperação Técnica para estimular a atividade turística em Minas, com destaque para o turismo rural.

O evento foi realizado em Araxá, no Triângulo Mineiro. Na cerimônia foi também oficializada a adesão do município ao Circuito Turístico Nascentes das Gerais e Canastra, além de ser assinado o decreto de criação do Polo Gastronômico da Cozinha Mineira no município.

O objetivo da parceria é criar condições para o desenvolvimento do turismo rural no Estado, com capacitação de agricultores familiares, no sentido de ampliar a geração de emprego e renda no meio rural. Entre as ações previstas estão a identificação de potencialidades regionais e apoio para a comercialização de produtos locais junto aos visitantes, além da elaboração de roteiros em segmentos específicos como turismo rural, de base comunitária, de experiência, de aventura e ecoturismo.

O diretor-presidente da Emater-MG, Otávio Maia, destacou o potencial do Estado para a atração de visitantes: “Temos muitos atrativos, como a gastronomia, os produtos típicos da cozinha mineira, os queijos, café, cachaça e até vinhos. E Minas Gerais também oferece muitas belezas naturais, como montanhas, cavernas, cachoeiras. Além disso, os mineiros são reconhecidos pela hospitalidade, cultura e história. Esperamos que o turismo rural seja mais explorado e que seja um mecanismo de promoção do desenvolvimento no campo, com novas fontes de renda para os produtores“, afirmou.

O secretário Leônidas Oliveira destacou que o acordo de cooperação entre Secult e Emater-MG prevê, por meio das ações desenvolvidas, oferecer cenários para a diversificação da oferta turística em Minas Gerais, garantindo também a ampliação da geração de emprego e renda nas regiões do Estado.

“O fomento ao turismo rural e ao turismo de experiência é de extrema importância para a alavancagem de uma tendência que desponta nos próximos anos, que é o turismo de liberação, ou seja, em áreas abertas, lembrando que Minas Gerais já está na dianteira desse crescimento nacional, com mais de 10% de crescimento acima da média. Vamos investir em capacitação, marketing turístico, roteirização e, sobretudo, na união de todo o estado, identificando os polos regionais específicos como, por exemplo, a culinário do Cerrado, da Zona da Mata, do Norte de Minas, Noroeste, Sul de Minas e da Zona Central. O turismo rural funcionará como um elo que permeia todo o território de Minas Gerais e nos liga enquanto mineiros em torno de uma identidade comum. Ao atrair turistas a uma localidade, os benefícios se estendem à cadeia do comércio, podem fomentar também a ampliação da rede hoteleira e outros setores. Estamos em fase de elaboração de um estudo com o BDMG para que seja criado um programa específico para o desenvolvimento do turismo rural com investimento no setor”, pontuou o secretário de Cultura e Turismo.

Circuito Turístico

A inclusão de Araxá no Circuito Turístico Nascentes das Gerais e Canastra permite que o município receba recursos estaduais e federais para aplicação no turismo, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) Turístico. Uma parcela de recursos arrecadados no Estado é destinada aos municípios participantes dos circuitos turísticos, para investimentos em gestão de atividades no setor e preservação do patrimônio cultural. Agora, são 19 os municípios associados: Além de Araxá, já participam Alpinópolis, Capitólio, Carmo do Rio Claro, Cássia, Claraval, Delfinópolis, Guapé, Ibiraci, Itaú de Minas, Passos, Pratápolis, São João Batista do Glória, São José da Barra, Piumhi, São Roque de Minas, Ilicínea,Tapira e Vargem Bonita.

A Emater-MG mantém um programa de orientação aos produtores de queijo Minas Artesanal, com o objetivo de garantir a qualidade sanitária do produto. Em toda a microrregião de Araxá (composta por 11 municípios: Araxá, Campos Altos, Conquista, Ibiá, Pedrinópolis, Perdizes, Pratinha, Sacramento, Santa Juliana, Tapira e Uberaba), foram atendidos em torno de 300 produtores. Atualmente, 17 queijarias na região já são regularizadas junto ao Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), e oito já têm o Selo Arte, que permite a comercialização do queijo em todo o território nacional.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Minas Gerais é o Estado brasileiro com melhor desempenho no turismo, entre maio e junho deste ano. A Pesquisa Mensal de Serviços, realizada pelo instituto, mostra crescimento de 19,7% nas atividades do setor, no período, enquanto a média nacional foi de 11,9%. Em relação às receitas, Minas também ocupa a liderança, com arrecadação de mais 26% em junho, em relação ao mês anterior. Na média nacional, a receita com o turismo aumentou 6,2%.

Miriam Fernandes – Ascom/Emater-MG

Foto: Divulgação/Emater-MG