Elas têm a força

Como ser mulher ajudou empresárias a encontrar seu nicho e as tornou mais bem-sucedidas.

Da Redação | 05/11/2021

Por: Izabella Figueiredo

Mariela Borges cresceu como o que ela descreve como uma difícil missão de conciliar a jornada empreendedora com as atividades tradicionais do lar. “Minha rotina envolve milhares de compromissos, viagens, reuniões, o que exige uma grande organização do tempo para conseguir realizar tudo e, principalmente, fazer bem feito”, diz a empresária que junto com a mãe Ivone e a irmã Camila comandam a Doce de Coco, marca especializada em tricô há mais de 30 anos. 

Mas ela usou a dinâmica corrida e o volume de demandas para impulsioná-la para a frente. “Quando somamos todos os desafios pelos quais passamos enquanto mulheres que vivem uma vida de muitas responsabilidades, passamos a entender o nosso público e as necessidades da mulher de verdade”, observa.

Hoje, comandar a comunicação da Doce de Coco é um de seus super talentos, já que muito estudo e prática a tornou capaz de fazer conexões genuínas e entender o poder da confiança em sua própria identidade, independentemente das dificuldades ou barreiras. “Ao se falar em moda, ninguém melhor do que a mulher para entender os desafios pelos quais passamos. Nosso corpo muda com o passar dos anos, nossos gostos se adaptam e nossa rotina se transforma diariamente”, confessa. 

Ela e outras três fundadoras e líderes compartilharam que, embora ser mulher possa às vezes parecer uma barreira, acaba se tornando uma vantagem incrível, proporcionando-lhes perspectivas, experiências e ferramentas únicas que usam em seu trabalho e em suas vidas.

As histórias a seguir ilustram lindamente que o que realmente importa é o que fazemos com nossa sensibilidade e talentos.

MARIELA BORGES

Como ser mulher afetou minha jornada empresarial: A Doce de Coco surgiu de um sonho antigo da minha mãe, que sempre foi apaixonada por moda e decidiu seguir seu coração. Ela parou o seu trabalho para se dedicar à construção da marca, que no começo era direcionado para moda infantil, mas foi crescendo junto com a gente. Quando se é mulher, a jornada empreendedora fica ainda mais difícil. Afinal, somos responsáveis por diversos aspectos dentro das nossas famílias. E por aqui não foi diferente. Além de empresárias, também somos mães, esposas e responsáveis por muitas decisões dentro do nosso lar.

Como ser mulher ajudou no meu sucesso: Ao se falar em moda, ninguém melhor do que a mulher para entender os desafios pelos quais passamos. Nosso corpo muda com o passar dos anos, nossos gostos se adaptam e nossa rotina se transforma diariamente. A moda é como a vida. Se transforma e se renova constantemente. Quando somamos todos os desafios pelos quais passamos enquanto mulheres que vivem uma vida de muitas responsabilidades, passamos a entender o nosso público e as necessidades da mulher de verdade. 

Um bom conselho: Para se ter uma empresa de sucesso, é fundamental ter muito jogo de cintura. Até porque, conseguir conciliar tudo isso, não é nada fácil. E é isso que acontece por sermos mulheres. É aí que encontramos mais força, mais energia e sororidade para entender outras mulheres que também passam pelo mesmo.”

 

ALESSANDRA ALVIM

Como ser mulher afetou minha jornada empresarial: A Angela Alvim Joias nasceu há mais de 30 anos com a Angela Alvim, minha mãe. É uma empresa familiar, dirigida por duas mulheres, mãe e filha. Sempre nos esforçamos para equilibrar a vida, tentando nos manter saudáveis, bonitas e presentes na vida familiar, tudo isso enquanto trabalhamos e tocamos nossas carreiras.

Como ser mulher ajudou no meu sucesso: Acho que nos identificamos com as clientes e elas se identificam comigo e com minha mãe exatamente por vivermos desafios pessoais muito parecidos. Esse reconhecimento que temos umas com as outras tem muito a ver com o fato de sermos mulheres, esposas, mães, filhas e profissionais. Buscamos sempre projetar joias que vão acompanhar essa mulher em sua rotina atarefada. Por isso, nossas joias são elegantes e versáteis, e muitas vezes fashionistas e divertidas. Gostamos de trazer as joias para o dia-a-dia dessa mulher que é atarefada e quer se sentir linda. Hoje, quando projetamos nossas peças, nossa prioridade é atender a esse público feminino. 

Um bom conselho: Sei como é difícil separar um tempo para si mesma e, pensando nisso, sempre tento desenvolver estratégias de comunicação que se adequem a vida da cliente. Isso é muito importante. Hoje, meu enfoque é nas soluções digitais, que permitem que a mulher tenha uma relação conosco sem ter que abrir mão do tempo que ela pode passar consigo mesma ou com sua família.

JOANA MOURÃO

Como ser mulher afetou na minha jornada empresarial: A Equipage é uma empresa familiar de 46 anos na qual trabalham minha mãe Cláudia e minhas irmãs Paula e Mariana. O setor calçadista é extremamente machista e por isso tivemos que ter uma postura extremamente profissional. Graças à essa transparência o machismo não tem vez. Em nenhum momento me deixo diminuir ou me faço de vítima porque o machismo existe.

Como ser mulher ajudou no meu sucesso: Foi com muita postura e elegância que conquistamos nosso lugar no mercado, testando novas fórmulas, aprendendo com erros e nos mostrando dispostas para mudar o mindset sempre que necessário.

Um bom conselho: No momento de pandemia entendemos a importância de enxugar a operação para crescer no futuro. Outra coisa que considero essencial também é sempre acreditar na equipe porque sem ela não vamos a lugar nenhum. Cada vez mais acredito em treinar uma equipe pensante, atuante e trazer ela para a tomada de decisões. 

NASTÁCIA SCHACHT

Como ser mulher afetou na minha jornada empresarial: Acredito que fui beneficiada nesse sentido, apesar de existir o preconceito instalado na sociedade. Muitas vezes há o machismo e a resistência com uma mulher à frente dos negócios.

Como ser mulher ajudou no meu sucesso: Acredito que como foi tudo tão intenso, tão verdadeiro, com tanta paixão e entusiasmo, fez com que eu conseguisse conquistar meu espaço ao longo do tempo. Não conquistei a confiança das pessoas de um dia para o outro, mas acho que fiz uma entrega tão verdadeira e tão intensa que ao passar do tempo fez com que eu ganhasse ainda mais credibilidade.

Um bom conselho: Correr contra tudo que os demais andam fazendo. Para nós é muito mais estimulante sermos diferentes e impactar as pessoas do que sermos os melhores. Hoje nosso maior desafio é mudar a receita do bolo que já está pronta, para se diferenciar e estar sempre à frente no mercado, saindo da zona de conforto.