Documentário brasileiro se qualifica para concorrer ao Oscar na categoria curta-metragem

Na animação “Carne”, cinco mulheres compartilham relatos íntimos e pessoais, em relação ao corpo desde a infância até a terceira idade.

Da Redação | 13/01/2021

filme brasileiro no Oscar

O documentário animado de 12 minutos “Carne”, está qualificado para concorrer ao Oscar de 2021 na categoria de curta-metragem documental e também está na shortlist dos Prêmios Goya na categoria de curta de animação. O filme, que marca a estreia da diretora Camila Kater, é uma co-produção Brasil/Espanha, produzido por Lívia Perez (Doctela) e Chelo Loureiro (Abano Producións).

“Carne” já está disponível em formato online e gratuito no New York Times Op-Docs, uma plataforma gratuita de alcance global do jornal estadunidense que reúne os melhores filmes de não ficção do mundo.

Assista o trailer aqui.

O filme teve a sua estreia no Festival Internacional de Locarno em agosto de 2019, na Suíça, onde recebeu Menção Especial pelo Júri Jovem. Na sequência foi  selecionado oficialmente em mais de 250 festivais pelo mundo.

Veja a lista completa de Prêmios e festivais.

Em “Carne”, cinco mulheres compartilham relatos íntimos e pessoais, em relação ao corpo desde a infância até a terceira idade. Ao apresentar cinco segmentos para as diferentes fases da vida das mulheres narradas através de vozes femininas, a película recorre à representação de suas experiências em técnicas diversas de animação.

Personagens

São cinco personagens: Rachel, Larissa, Raquel, Valquiria e Helena. Elas expõem vivências diversas determinadas de acordo com a faixa etária, orientação sexual, etnia e constituição corpórea.

“Acredito que a animação confere aos depoimentos uma dimensão sensorial muito rica e que pode ser uma linguagem maravilhosa para abordar temas sensíveis”, explica a diretora. Segundo ela, há uma conexão especial entre as histórias reais e as animadoras, e ela está, de alguma forma, impressa no filme.

“É um trabalho colaborativo, feito a partir de uma equipe de 95% de mulheres, que me trouxe confiança como diretora e animadora, mas também me deu a oportunidade de conhecer essas mulheres incríveis e aprender muito com elas. Não posso dizer que estou totalmente confortável com meu corpo hoje, mas certamente o respeito e o admiro mais”, afirma Camila Kater.

Origem à série

O curta “Carne” dá origem à série homônima, seguindo o mesmo formato de documentário animado. A partir do aprofundamento de temáticas ligadas ao corpo da mulher em diferentes fases da vida, 25 personagens compartilharão suas histórias desde 5 nacionalidades distintas: Brasil, Espanha, China, Palestina e Nigéria.

A série está em fase de desenvolvimento para plataformas de streaming e será estruturada em cinco capítulos por temporada, com 20 minutos de duração cada.

Fotos: Sinny Comunicação/Divulgação

Leia mais sobre cinema aqui.

Mais Notícias