Comprar na planta ou reformar: qual a melhor opção?

Marina Dubal | 30/08/2021

A compra de um apartamento é para a maioria a realização de um sonho. Por ser um grande investimento, é um processo que resulta em um grande comprometimento financeiro e até mesmo anos de planejamento, economia e dedicação. Por isso é uma escolha que deve ser feita com cuidado e organização!

Para quem não é especialista no assunto, o primeiro passo é sempre se informar. Mas logo surge uma dúvida: qual a melhor estratégia, comprar um apartamento na planta, comprar um apartamento novo ou reformar um apartamento mais antigo? E a resposta é: depende. Não é uma escolha simples e as pessoas têm perfis diferentes. Estilo de vida, custos, budget e até mesmo de organização financeira. Outros fatores como cidade, público, economia, localização também devem ser levados em conta. A melhor opção vai ser a que te traz mais vantagens (a custo e médio prazo). Parece óbvio, mas nem sempre é uma análise simples de fazer, então para começar vamos te apresentar cada uma das opções para te ajudar nessa escolha.

Comprar apartamento na planta, o que isso significa? Como próprio nome diz, é a aquisição de um apartamento ainda na fase construtiva, ou até mesmo antes do início da obra. Logo, para quem tem pressa para se mudar essa não é uma opção muito atrativa. Se a sua demanda é algo mais ágil, a outra opção é comprar um apartamento já pronto e avaliar a necessidade de intervenções e reformas para adequá-lo às suas necessidades. A complexidade dessa intervenção é variável, vai depender do estado atual do apartamento e das demandas dos futuros moradores, tendo cada opção seus prós e contras.

Se te interessam os empreendimentos mais modernos (tanto nos espaços comuns quanto na qualidade de acabamentos e soluções integradas nos apartamentos), a compra do imóvel na planta pode ser algo vantajoso. Quanto mais novo for um imóvel, maior a possibilidade de utilização do que há de mais moderno em materiais e tecnologias da construção. Com uma busca cuidadosa é possível achar apartamentos que atendam mais a sua necessidade e que demandem o mínimo de reforma possível. O comprador que chega cedo em um empreendimento na planta tem mais opções de escolha da unidade que vai adquirir. Optar pelo andar ideal ou um apartamento voltado para a melhor orientação solar, por exemplo, tem muitos benefícios no dia a dia dos moradores, desde mais conforto térmico, acústico, até menor gasto com ar condicionado por exemplo.

E mesmo que sua intenção seja personalizar o máximo possível, geralmente as construtoras permitem intervenções e alterações mediante acompanhamento de um profissional qualificado, logo as alterações que almejam podem ser executadas e acompanhadas durante a construção do edifício. As possibilidades de customização dos apartamentos variam com a construtora, desde padrões de acabamento, cores de tintas, rebaixamento de gesso, iluminação, elétrica e até pequenas alterações na própria arquitetura ou instalação de armários. Intervir na fase de construção ao invés de optar pela demolição e readequação economiza tempo, dor de cabeça e muitas vezes sai mais barato. Além disso, a espera pela finalização do empreendimento permite que você crie uma reserva financeira e se organize não somente para pagar o financiamento do imóvel, mas também para adquirir o mobiliário e fazer os acabamentos necessários.

Não é uma regra, mas quando comparamos apartamentos de mesmo padrão e idade, geralmente o preço de um apartamento comprado na planta é inferior ao de um imóvel pronto, já que existe um risco embutido neste preço. Logo, mesmo com todas essas vantagens, a compra de um apartamento na planta exige alguns cuidados básicos, e para evitar transtornos o ideal é usar a precaução. A construção de um prédio também está sujeita a atrasos e problemas, e o comprador tem que confiar que a construtora vai entregar tudo como prometido. Verificar o histórico da empresa, conversar com pessoas que negociaram com ela, visitar imóveis de seu portfólio, verificar queixas contra ela na justiça e em órgãos de defesa do consumidor são cuidados necessários antes de realizar esse tipo de investimento. Os riscos se tornam bem menores quando se investe em uma construtora que é bem organizada e experiente.

A segunda opção é a compra do imóvel já pronto. Quem opta por essa estratégia tem melhores condições de avaliar sua qualidade, padrão dos acabamentos, identificar possíveis defeitos na construção. Mas em contrapartida significa a aquisição de um imóvel que já pertenceu a outro proprietário (ou vários) e com isso entram problemas tanto de uso quanto o desgaste que o próprio tempo causa aos materiais. Essa é uma avaliação que deve ser feita de forma muito cuidadosa, já que uma construção mais antiga pode trazer muita dor de cabeça.

Comprar um apartamento que precisa de reforma pode ser uma alternativa vantajosa financeiramente desde de que sejam tomados alguns cuidados importantes, já que apartamentos mais antigos muitas vezes apresentam preços mais baixos do que o padrão do mercado em comparação aos empreendimentos mais modernos. Isso pode variar muito dependendo da cidade e localização. Um imóvel que demanda renovação traz implícita a depreciação do valor da compra, logo, investindo em boas intervenções o imóvel passará a valer mais do que no ato na compra, passando por um processo de valorização. Ou seja, parte do investimento em obra é convertido em investimento imobiliário.

E em geral tendem a ser apartamentos espaçosos, bem localizados, e a reforma permite personalizar ao máximo a construção às suas necessidades. É essencial ter um acompanhamento profissional para avaliar aspectos como conservação, problemas estruturais e demais riscos para que o custo da renovação não se torne maior do que a valorização do imóvel e a economia passa a ser um prejuízo. Fora as dores de cabeça e stress decorrentes dos problemas de obra e orçamento.

As construções mais antigas ainda têm a vantagem de geralmente ter uma estrutura mais resistente e matéria prima de qualidade, já que na época não existia tantas opções de materiais mais baratos e de pior qualidade. Os apartamentos mais novos, o cuidado com os acabamentos é essencial: materiais novos não necessariamente são de boa qualidade. Logo a aparência de novo pode mascarar problemas sérios que só vão aparecer com os anos de uso.

Afinal, qual é a melhor opção? Não existe uma resposta certa, apenas a melhor opção para você! A compra de um apartamento é um negócio. Isto é, se o preço de compra está vantajoso, se o imóvel é de boa qualidade, ou se ele tende a se valorizar, quais são as prioridades, etc. O apartamento na planta possibilita se programar com antecedência (tanto no planejamento do projeto quanto nas compras de móveis e acabamentos) permitindo que a mudança ocorra com muito mais tranquilidade. O imóvel pronto pode precisar de reformas, mas é uma escolha muitas vezes mais conservadora e imediata.

Independente da sua escolha, o profissional ideal para te acompanhar durante todo o processo é o arquiteto! Sim, você não precisa comprar o apartamento para iniciar o projeto. Podemos te auxiliar desde a escolha de qual apartamento comprar, as alterações a serem feitas durante o processo de construção, o planejamento físico/financeiro do projeto, acompanhar o andamento e qualidade da obra, até o último adorno. A vantagem são escolhas mais conscientes, planejadas e sem stress. A compra de um apartamento é sim um negócio. Mas é também um sonho realizado, o início de uma história e um novo caminho a ser trilhado. Então vamos juntos?

Confira outros textos (AQUI)

Texto: Marina Dubal/ Barbara Campos Silva e Freitas