Como conciliar a chegada de um bebê e seu filho mais velho

Leve o filho mais velho à maternidade para conhecer o bebê e o incentive a recebê-lo como um novo membro da família

Paula Vereza | 01/02/2021

Alguns pais ficam muito preocupados quando vão ter um segundo filho, como será que o primeiro vai reagir, será que conseguiremos cuidar de duas crianças, como será a rotina da família, como dar amor aos dois filhos? Essa preocupação é normal, afinal, o desejo de todo pai e toda mãe é que seus filhos se sintam amados, queridos, protegidos e cuidados igualmente e que a família cresça de forma harmoniosa e feliz.

No caso da chegada de um novo filho é preciso que os pais preparem o primeiro para ter um irmão ou irmãzinha e participe da gestação, opinando sobre a escolha do nome do bebê, escolhendo itens de enxoval e até mesmo vendo o bebê pelo ultrassom. É interessante que desde a barriga seu filho ou filha mais velho já converse com o irmãozinho e assim nutra um vínculo afetivo com o bebê que está para nascer.

Leve o filho mais velho à maternidade para conhecer o bebê e o incentive a recebê-lo como um novo membro da família que chegou para que ela fique ainda mais repleta de amor. Durante as visitas que receber é importante fazer com que a primeira criança também se sinta acolhida e envolvida nos cuidados com o bebê. Ficar encolhidos em um canto, emburrados ou tristes é muito comum e podem ser sinais de que seu primogênito está com ciúmes querendo chamar atenção, por isso, fique atento ao comportamento dele.

Conversar com o filho mais velho sobre seu lugar na família pode ajudá-lo, pois muitas crianças pedem por irmãos mas se decepcionam com a chegada de um bebê, com quem não podem brincar e que ainda choram e dependem totalmente dos pais. Nessas horas pode haver um certo ciúme, por isso é importante deixar claro que essa criança não perdeu seu lugar na família e que ganhou sim um companheiro ou companheira para toda a vida. Explique que o bebê ainda vai aprender a brincar e você vai precisar de ajuda para cuidar dele. E que ele vai poder ensinar ao irmãozinho muitas coisas divertidas.

Sempre que o bebê for presenteado, dê algo também ao filho mais velho. Pode ser um algo simbólico que permita que as crianças sejam presenteadas ao mesmo tempo, demonstrando que ambos recebem o mesmo afeto.

Isso fará com que a criança mais velha não se sinta deixada de lado e evitará que se sinta ameaçada e querendo chamar a atenção.

É fundamental que a família se organize para conseguir dar atenção às duas crianças na medida certa. Mas isso pode parecer impossível em alguns casos, não é mesmo? A mãe que amamenta, é a única responsável pela alimentação do bebê por isso, deve se dedicar a essa tarefa. As demais atividades, como banhos, trocas de fralda, colocar para dormir e tomar sol, podem ser divididas com o pai e podem também contar com a ajuda do filho mais velho. Assim, essa mãe fica menos sobrecarregada e consegue dividir seu tempo entre as duas crianças e ainda incluir o primogênito nos cuidados com o bebê. Todos os momentos que estiver com o mais velho, coloque em evidência que é um momento só de vocês dois e brinque do que ele quiser brincar.

A divisão dos cuidados só dá certo quando essa mãe pode contar com uma forte rede de apoio que a auxiliará nos cuidados com toda a família. Por isso, é tão importante que os pais se envolvam nos cuidados diretos com os filhos e ainda possam sempre contar com aquela avó ou avô em casos especiais. Essa cooperação em família faz com que todos estejam envolvidos nas rotinas uns dos outros e se sintam acolhidos e capazes de cuidar de toda a família.

Confira outros textos da colunista Paula Vereza (aqui)