CG completa 45 anos, muda design, mas mantém conjunto mecânico

Com 160 cc de cilindrada, linha 2022 é disponível com novas cores e permanece disponível nas versões Start, Fan, Titan e Cargo.

Da Redação | 25/06/2021

Ela já foi 125, 150 e agora é 160. A cilindrada aumenta com o tempo, mas a “CGezinha” continua nas ruas e avenidas das cidades do País toda toda. Ela prevalece porque é a famosa BBB (bom, barato e bonitinha, na medida do possível) e chega, este ano, aos 45 anos de produção. Para celebrar a data, a Honda modernizou um de seus ícones do motociclismo mundial.

A motocicleta, que é a número 1 em vendas no País, ganhou novo design, mas teve seu conjunto mecânico preservado. Sempre foi líder de mercado, desde 1971, e se mantém como principal opção para o uso diário e urbano, devido ao seu custo-benefício.

A linha 2022, que marca o aniversário, custa de R$ 10.520 a R$ 13.040,00, conforme a versão. A CG 160 Start traz novo design na moldura do painel de instrumentos e na carenagem frontal, com três opções de cores. A CG 160 Fan e a CG Cargo, por sua vez, também receberam nova moldura de painel, nova carenagem de farol e laterais do tanque redesenhadas interna e externamente. Para a Cargo, a opção de cor é única, o branco, enquanto que para a Fan as opções de cores são três.

O modelo mais conhecido é a Titan, que recebeu uma nova moldura do painel, nova carenagem de farol e de laterais do tanque, exclusivas do modelo, além de rabeta com laterais redesenhadas. A CG Titan 2022 também chega com três opções de cores.

Mas para a Honda, no aspecto suspensão e motor vale o jargão popular “time que está ganhando não se mexe”.

O chassi tipo Diamond de chapa estampada, no qual o motor tem função estrutural, permanece inalterado e é comum a todas as versões da CG. A suspensão dianteira tipo SFF (Separated Function Fork) faz par com a suspensão traseira bichoque, com amortecedores de dupla ação reguláveis na carga da mola.

A CG 2022 possui sistema de freios CBS (Combined Braking System), sendo a CG 160 Start equipada de freio dianteiro e traseiro a tambor. Nas Cargo, Fan e 160 Titan, o freio na dianteira é a disco e o traseiro a tambor.

Também está mantido o motor monocilíndro quatro tempos com sistema de comando de válvula no cabeçote OHC. Ele tem 162,7 cc de cilindrada e gera a potência máxima de 15,1 cv (etanol) e 14,9 cv (gasolina) a 8.000 rpm. O torque máximo é de 1,54 kgfm (etanol) e 1,40 kgm (gasolina), a 7.000 rpm. 

O sistema de alimentação por injeção eletrônica PGM-FI incorpora a tecnologia FlexOne (Fan, Cargo e Titan), que admite uso de etanol e gasolina em proporções diferentes. Na CG 160 Start o sistema PGM-FI permite apenas o uso de gasolina no motor, que mantém as mesmas características de potência e torque dos modelos bicombustível. O câmbio tem cinco velocidades e a embreagem de acionamento mecânico é do tipo multidisco em banho de óleo.

Na Honda CG 160 Cargo, Fan e CG 160 Titan, as rodas são de liga leve com cinco raios duplos, enquanto na CG 160 Start são raiadas, com aros de aço Black Chrome. Em todas as versões o pneu dianteiro tem medida 80/100 18 M/C 47P. Na CG Start e CG Fan o pneu traseiro tem medida 90/90 – 18 M/C REINF 57P, enquanto na CG 160 Titan o pneu traseiro tem medida maior, de 100/80 – 18M/C REINF 59P.

A capacidade do tanque foi alterada: CG 160 Cargo, Fan e Titan é agora de 16,1 litros (3,1 litros de reserva) e da Start de 14,6 litros (3,2 litros de reserva). A autonomia de 600 quilômetros pode ser alcançada em condições de uso ideais, se as motos forem abastecidas com gasolina.

Preços e versões

  • Honda CG 160 Start: R$ 10.520,00
  • Honda CG 160 Fan: R$ 11.760,00
  • Honda CG 160 Cargo: R$11.900,00
  • Honda CG 160 Titan: R$ 13.040,00

FOTOS / Divulgação JC / Honda

Mais Notícias