Campeonato de breaking ganha edição virtual

Entre as finalistas da categoria feminina está a B-Girl brasileira Nathana Vieira Venâncio, de 29 anos, natural de Uberlândia, em Minas Gerais.

Da Redação | 27/10/2020

Evento. Depois de duas rodadas emocionantes de batalhas online, 16 b-boys e 16 b-girls de todo o mundo foram escolhidos os melhores dançarinos de breaking de 2020 e avançam para a próxima etapa do Red Bull BC One E-Battle, o programa de batalhas online do Red Bull BC One, maior e mais famosa competição de breaking 1×1 do mundo.

O público poderá conferir os duelos pela Red Bull TV nos dias 10, 17 e 24 de outubro, quando ocorre a grande final. O time de jurados é formado por um trio experiente: o b-boy russo Aslan, a b-girl finlandesa AT e o b-boy francês Lilou –eles julgarão os movimentos dos dançarinos de acordo com critérios como musicalidade, originalidade e performance. Este ano, o prêmio para os ganhadores é inédito: uma vaga na final mundial, que será realizada em 2021, em local a ser definido.

Entre as finalistas da categoria feminina está a B-Girl brasileira Nathana Vieira Venâncio, de 29 anos, natural de Uberlândia, em Minas Gerais. “Eu acho uma grande responsabilidade e uma honra estar representando o Brasil no Red Bull BC One E-Battle”, diz a b-girl Nathana. “É uma grande oportunidade que não vou desperdiçar.” 

Nathana começou a dançar em 2008 em sua cidade natal, Uberlândia (MG). “Um professor de dança de rua me levou para um lugar chamado Comunidade Hip-Hop, onde a galera treinava breaking, e ali me apaixonei pela cultura”, lembra. “Enfrentei muitas dificuldades no começo com a minha família, mas hoje tenho o total apoio deles.”

Participar de uma competição de breaking online foi novidade para Nathana, mas ela parece ter encontrado o segredo: “É diferente, é você e a câmera, não tem aquela energia do público a sua volta, então você tem que se superar e tirar essa energia da sua alma e colocá-la pra fora”.

Para construir seu estilo de dança, Nathana se inspira em suas companheiras da We Can do It, grupo exclusivamente feminino que ela ajudou a fundar ao lado das b-girls Bibi e Day. “Além delas, tenho muitas referências e pessoas que levo como inspiração, como os B-Boys Stripes, Lego, Roxrite, Thesis, Neguin e Ratin e as B-Girls Rockafella, Asia One, JK47, SanAndrea e FabGirl.”

Para se ter uma ideia da importância do breaking brasileiro na competição no Red Bull BC One E-Battle, em 2018, o primeiro ano em que ocorreram as batalhas online, o campeão mundial foi o b-boy Luan San, nome forte da cena paulista, que realizou emocionantes disputas virtuais com dançarinos de diversos cantos do globo até chegar ao topo e abocanhar o título. 

Mais Notícias