Bolt EV: barulho e poluição zero, motor 100%

Avaliação: carro elétrico da Chevrolet apresenta desempenho impressionante, muitos conteúdos de série, mas preço alto ainda é o maior problema.

Luís Otávio Pires | 18/03/2021

Chevrolet Bolt EV

Nada de barulho, nada de poluição. Como é agradável guiar um carro elétrico, como o Bolt EV que a Chevrolet começou a vender no Brasil ano passado. Ele ainda não ganhou as ruas, mas aguarda sua vez na fila assim que a realidade brasileira mudar em relação a este tipo de veículo.

Com o dólar nas alturas, o crossover compacto segue a cotação. Por isso, custa R$ 266.900, um valor e tanto para um compacto que se assemelha ao Onix em tamanho e espaço interno, apesar de ter muitas diferenças de acabamento e de conteúdo. Aliás, o preço alto ainda é o maior entrave dos elétricos no Brasil.

A maior diferença mesmo é o comportamento dinâmico. Primeiro, quando a gente “liga” o motor, por meio de um botão no painel, não há ruído. Aparece a palavra “ready” (pronto, em português) no quadro de instrumentos e já está apto a seguir sua viagem.

O câmbio automático tem um sistema um pouco diferente também. Tem um botão lateral na alavanca que deve ser apertado para alterar a posição (D, N e R). Apenas para a posição P (parking) há um comando separado, assim como o freio de mão que, na verdade, é um freio de dedo. Isso mesmo, um botão já deixa o carro engrenado.

Bateria potente

O motor elétrico é movido por bateria 60 kWh 120 V Íon-lítio, que, traduzindo em cavalos, dá uma potência de 203. O desempenho é impressionante, sobe qualquer ladeira de Belo Horizonte sem esforço. Na estrada é melhor ainda. A velocidade máxima é controlada a 148 km/h, mas o aproveitamento da força do motor realmente deixa o condutor muito satisfeito.

O Bolt EV possui o modo One Pedal (um pedal, em português). Com ele, o motorista precisa apenas aliviar a pressão do acelerador para que o modelo reduza na hora a velocidade e comece a frenagem. É que, no carro elétrico, frear ou reduzir a velocidade tem seu valor, na medida em que o sistema regenerativo permite recarregar a bateria.

Sua autonomia total é de 416 quilômetros (carga total), segundo o ciclo EPA, adotado nos Estados Unidos, onde ele é produzido. Mas, como todos os elétricos plug-in, o Bolt funciona como o smartphone na sua rotina diária. Ou seja, ao chegar em casa, não se esqueça de ligá-lo na tomada.

Recarga

Um (ainda) problema dos elétricos, e no Bolt EV não é diferente, está no tempo de recarga.  Ela pode durar até dois dias, se for em uma tomada convencional de 220 V. Segundo o fabricante, o aparelho de recarga rápida fornece uma quantidade de energia por hora suficiente para que o veículo rode aproximadamente 40 quilômetros. Para ter a recarga completa das baterias são dez horas.

Existem outros tipos de carregadores, os chamados eletropostos de alta voltagem, que ficam em estabelecimentos comerciais, como shoppings e supermercados. Neste caso, bastam 30 minutos de recarga para o carro rodar mais cerca de 160 quilômetros.

Ficha Técnica

MOTOR:

  • Elétrico, Plug-in, com bateria de 66 kWh de capacidade
  • Potência: 203 cv
  • Torque: 36,7 kgfm

DESEMPENHO:

  • Velocidade máxima: 140 km/h (controlada)
  • 0 a 100 km/h: 7 segundos

DIMENSÕES:

  • Comprimento: 4.165 mm
  • Largura: 1.765 mm
  • Altura: 1.610 mm
  • Entre eixos: 2.600 mm

ITENS DE SÉRIE:

  • Câmeras auxiliares 360 graus, 10 airbags, assistente de permanência na faixa, alerta de ponto cego, aviso de tráfego traseiro cruzado, alerta de colisão frontal, sistema de frenagem automática com detecção de pedestres para mitigar acidentes, painel digital com tela de oito polegadas, MyLink com tela de 10,2 polegadas, bancos em couro climatizados.

Fonte: General Motors

Confira outras matérias de carros elétricos aqui.

Mais Notícias