BH flexibiliza comércio não essencial a partir do feriado de 21 de abril

Domingo continua com tudo fechado, exceto postos de combustível e farmácias; boates, feiras, museus e cinemas não serão reabertos.

Luís Otávio Pires | 19/04/2021

Jackson Machado

Com o aval do comitê de enfrentamento à covid19 composto por médicos, incluindo o secretário municipal de saúde, Jackson Machado, o prefeito da capital mineira Alexandre Kalil acaba de anunciar a flexibilização de vários setores do comércio de Belo Horizonte. Será a partir desta quinta-feira, 22 de abril, incluindo escolas para crianças de 0 a cinco anos e oito meses.

Aos domingos, não haverá mudança: todo o comércio ficará fechado, exceto farmácias e postos de combustível.

Abre e fecha

Veja a lista do que será reaberto e o que continua fechado. O funcionamento é de segunda a sábado:

  • Bares e restaurantes: 11 às 16h, com venda de bebida alcóolica
  • Comércio varejista: 7h às 21 h
  • Comércio essência: 9h às 20h
  • Shoppings: 10h às 21h
  • Comércio atacadista: 7h às 17 h
  • Salões de beleza e academias: sem restrição de horário, mas com obrigatoriedade de marcação de horário
  • Pistas e praças: reabertas, com a retiradas das cercas
  • Cultos: uma pessoa a cada sete m2 (lotação conforme a metragem do local)
  • Parques: funcionamento com agendamento, exceto Parque Municipal (*)
  • Escolas: retorno das aulas para crianças de 0 a 5 anos e 8 meses, a partir de 26 de abril
  • Continuam fechados: feiras, museus, cinemas, parques de exposições, parques temáticos e boates.
  • (*) O Parque Municipal não vai reabrir, porque foi detectado um gambá com suspeita de raiva e agora a administração do local irá vacinar os cerca de 2 mil gatos e cães que lá residem.

Tendência de queda

Apesar dos indicativos usados pela Prefeitura de Belo Horizonte não estejam todos no verde, o secretário municipal de saúde, Jackson Machado, explicou que há uma tendência de queda nos números. Daí a decisão pela flexibilização.

Os números atualizados são os seguintes:

  • Taxa de transmissão: 0,90
  • Leitos UTI: 81,1%
  • Leitos de enfermaria: 58,9%
  • 36 pessoas aguardam UTI; semana passada eram mais de 200

Durante a reunião desta segunda-feira, 19, o prefeito de BH, Alexandre Kalil, ressaltou que não é ele quem manda abrir ou fechar a cidade. “Quem faz isso é a população. Ela quem define conforme as suas atitudes”, afirmou.

Kalil também salientou que todas as ações da PBH seguem a ciência, no caso, a opinião dos médicos do comitê de enfretamento à covid-19.

“Por mim eu já tinha flexibilizado a capital há uma semana, mas os médicos me mostraram que a gente poderia esperar mais um pouco até termos a certeza desta tendência de queda”, observou.

Foto: Reprodução Youtube

Confira outras matérias sobre flexibilização da cidade aqui.

Mais Notícias