BH COSMOPOLITA – por João Eugênio e Thiago Romano

Que tal um passeio cultural de uma tarde pelo centro de BH?

Da Redação | 08/07/2021

Pra quem estava com saudades de um passeio cultural em Belo Horizonte, a partir desta semana, vários museus da cidade já abrem suas portas. A novidade segue o último decreto do prefeito Alexandre Kalil, que, por conta da boa redução dos indicadores da Covid-19, liberou o funcionamento dos espaços, desde que com 50% de sua capacidade.

A programação traz desde reflexões sobre artificialidade e direitos humanos na fotografia, a história da moda brasileira, retrospectiva de arte cinética, uma homenagem aos 70 anos de carreira da artista Yara Tupinambá, e muito mais. Além da limitação de público, todos os espaços contam com protocolos de segurança próprios, que incluem a retirada prévia de ingressos.

Então, vista sua máscara, retire seus ingressos e siga o nosso roteiro:

Câmera Sete e Palácio das Artes

As galerias da Fundação Clóvis Salgado recebem até o dia 5 de setembro a exposição física do 4º Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte (FIF-BH). Com o tema “Imagens Resolutivas”, a mostra é uma curadoria feita a partir da edição do FIF que ocorreu em formato online em dezembro de 2020.

Cada galeria do Palácio das Artes e da Casa da Fotografia de MG trará um corpo de artistas de diferentes lugares do mundo que discutem, por meio de imagens, um conflito da contemporaneidade. Memória, direitos humanos, manipulação de fotos, identidade e política são alguns dos temas que nos provocam a reflexão.

Serviço:

  • Segunda a sábado, 10h às 21h, e domingos, 17h às 20h.
  • CâmeraSete – Casa da Fotografia de Minas Gerais
  • Av. Afonso Pena, 737 – Centro
  • Palácio das Artes
  • Av. Afonso Pena, 1537 – Centro

Museu da Moda – MUMO

Muito confundido com uma igreja, o Museu da Moda ocupa um dos prédios cuja arquitetura mais chama a atenção no Centro de BH. O espaço recebe a exposição “Arquivo Urbano: 100 anos de fotografia e moda no Brasil”, com registros que exploram a evolução dos hábitos e costumes de vestir brasileiros enquanto expressões culturais de cada época.

Também está em cartaz “Alceu Penna – Inventando a Moda do Brasil”, que homenageia este mineiro que foi precursor do jornalismo de moda no país. Famoso pela seção “As Garotas”, que publicava semanalmente na revista O Cruzeiro, entre 1938 e 1964, ele passou pelo design, jornalismo, estilismo, publicidade, entre outras atuações, sempre com grande impacto na moda nacional.

Serviço:

Museu Inimá de Paula

No Mesmo quarteirão do MUMO, o Museu Inimá de Paula se ergue imponente em frente ao Monumento à Rômulo Paes, compositor que ficou famoso pelo verso “Minha vida é esta, subir Bahia e descer Floresta”. O espaço é uma boa oportunidade de conferir a produção de Inimá de Paula, que foi afilhado de Portinari e é considerado o grande fauvista brasileiro por conta das cores vibrantes e pinceladas vigorosas, que trazem emoção às suas pinturas.

Serviço:

  • Terça a sábado, 13h às 18h30, e aos domingos, 10h às 15h30.
  • R. da Bahia, 1201 – Centro

CCBB – BH

O Centro Cultural do Banco do Brasil reabre na quarta, 7 de julho, e funciona todos os dias, menos às terças, entre 10h e 22h. Em cartaz, “Abraham Palatnik – a Reinvenção da Pintura” traz uma retrospectiva desse que foi um dos pioneiros na associação entre arte e tecnologia. O artista perambula pela passagem da Arte Moderna à Contemporânea em obras que vão além de pinturas e esculturas para promover novas experiências e percepções ao público.

Também podemos conferir no CCBB uma homenagem a uma das grandes artistas contemporâneas mineiras, em “Yara Tupynambá – 70 Anos de Carreira”. A mostra reune 70 obras de diferentes fases da artista que trazem claramente sua relação com a natureza e as manifestações tradicionais em Minas Gerais.

Serviço:

Confira outras notícias (AQUI)