Beach Tennis cai no gosto do mineiro

Belo Horizonte tem hoje cerca de 60 quadras específicas para a prática dessa atividade esportiva; apenas no bairro Belvedere são 23 locais.

Cristiane Miranda | 31/08/2021

Lauro e Luci

A pandemia trouxe mudanças não só em relação às novas formas de relacionamento ou às novas formas de trabalho. O home office tornou-se usual e conseguiu dar estabilidade às empresas que precisavam continuar a produzir. Saímos dos escritórios para dentro das casas, mas algumas atividades esportivas fizeram um movimento contrário, caindo no gosto das pessoas que estavam em busca de ar livre. E foi nesse cenário que o Beach Tennis teve um boom de crescimento na capital mineira.

“A pandemia deu uma alavancada aqui em Belo Horizonte, pois as pessoas estavam procurando atividades outdoor, ou seja, fora das quatro paredes das academias”, revela o presidente da Federação Mineira de Beach Tennis e jogador profissional na modalidade, Luiz André Basile.

Para o professor e praticante do Beach Tennis, Leo do Carmo, até há alguns anos o mineiro não tinha muito interesse nessa modalidade. Foi a crise sanitária o responsável direto pela expansão desse esporte.

“Demorou para crescer, mas agora teve um crescimento absurdo e a tendência é continuar com essa curva ascendente. É democrático, alegre e tem essa ‘vibe’ de praia, diferente do tênis profissional”, opina.  

Luiz Basile
O presidente da Federação Mineira de Beach Tennis e jogador profissional na modalidade, Luiz André Basile, confirma o crescimento do esporte em BH (Foto: Arquivo Pessoal)

Muitas quadras

Soa até estranho imaginar que uma modalidade esportiva como o Beach Tennis faça tanto sucesso na capital mineira, afinal, onde estão as nossas praias com as areias reluzentes? Nada disso é problema.

Atualmente existem cerca de 60 quadras próprias para a prática do Beach Tennis, que é praticado na areia e é uma mistura do vôlei de praia, tênis e badminton.

O bairro Belvedere é o campeão com 23 quadras; a Zona Sul de Belo Horizonte conta 16 espaços onde se pode praticar; a Zona Norte tem 15 locais; e o Estoril (Região Oeste) possui seis quadras de Beach Tennis.  

“Esse é um esporte democrático, qualquer pessoa consegue praticá-lo. Na minha academia temos alunos de seis anos até 78 anos. As regras são bem diferentes do tênis tradicional, a bola é 50% mais lenta. Como é uma atividade praticada na areia, o gasto calórico é grande, chega a 900 calorias por hora. Outro benefício é mais músculos tonificados, já que a areia contribui para isso”, diz Luiz Basile, que também é proprietário da Beach Sport Academia e Centro de Treinamento, localizada no Bairro Estoril.

Moradora do Vila da Serra, Lúcia Rodrigues pratica há três anos o Beach Tennis. Antes de conhecer esse esporte, jogava tênis tradicional.

“Eu jogava tênis quase todos os dias, estava no nível intermediário. Quando instalaram uma quadra de Beach Tennis no meu prédio foi paixão à primeira vista, tanto que abandonei o tênis”, conta. 

O marido Lauro Troncoso e o filho João Victor de 15 anos também são adeptos dessa modalidade praticada na areia.

“O Beach é um esporte alegre, descontraído e muito mais fácil de jogar do que o tênis. A gente joga ouvindo música, é muito legal. Precisa também de concentração e estratégia de jogo, o que adquirimos com o tempo”, salienta Lúcia Rodrigues.

Lúcia, seu filho João Victor e o marido Lauro praticam o Beach Tennis (Foto: Arquivo Pessoal)

Falta de professores

Para Luiz Basile, o esporte tem crescido muito no Brasil. “Está faltando professores de Beach Tennis tamanha é a demanda por essa prática esportiva. Estou viajando pelo Brasil dando cursos de capacitação para a formação de novos professores”.  

A capital mineira foi palco, no último final de semana de agosto, no Beach Sports & Bar, da 1ª etapa do Circuito Mineiro de Beach Tennis, onde foram definidos os campeões do BLVS Beach Arena Open,  e contou pontos não só para o ranking da Federação Mineira de Beach Tennis, bem como da Confederação Brasileira de Beach Tennis e da IFBT, a Federação Internacional de Beach Tennis.

O evento bateu recorde de atletas com 372 participantes de seis estados brasileiros (MG, SP, RJ, ES, DF e GO) distribuindo R$ 10 mil para o profissional masculino e feminino.

“O evento foi um sucesso, recorde em Belo Horizonte com quase 400 atletas, mais de 550 jogos, duas finais profissionais eletrizantes. Fui campeão junto com o Matheus Silva nas duplas e vice nas simples”, comemora Luiz Basile.

Sobre o Beach Tennis

O Beach Tennis surgiu na Itália, na década de 1980, e só chegou ao Brasil, mais especificamente no Rio de Janeiro, em 2008. Em Belo Horizonte a modalidade chegou em 2013 com apenas duas quadras localizadas no bairro Belvedere.

A modalidade  vem ganhando espaço em todo o Brasil, mistura de vôlei de praia, já que é jogado em dupla e o ponto é marcado quando a bola toca o “chão” do adversário, badminton, por conta da altura da rede que é de 1,70m e o tênis, a partida se divide em até três sets com seis games cada um.

Onde praticar

Orla Beach

  • Av. Celso Porfírio Machado, 870 – Belvedere
  • Telefone: (31) 98315-4574

Kiosk Beach Tennis

  • Rua Professor Pedro Aleixo, 290-Belvedere
  • Telefone: (31) 99596-1111

Beach Sports e Bar

  • Rua João de Almeida, 160 – Estoril
  • Telefone: (31) 99565-7555

Confira outras matérias sobre Esportes AQUI.